Entrevista com Marcelo Faria

Entrevista com Marcelo Faria

Foto: Renato Rocha Miranda / Rede Globo

 

Com mais de vinte anos de carreira, Marcelo Faria curte a oportunidade de estrelar novamente uma novela de Elizabeth Jhin. Desta vez, o ator dá vida ao Kléber, jovem advogado que mantém uma relação com uma mulher mais velha, personagem de Suzy Rêgo. Assim como em Escrito nas Estrelas, outra trama da autora de Amor Eterno Amor, Kléber sofre com o ciúme da esposa: “ela o vê como um garotão para ela”, explica o ator. Além de falar sobre o personagem, Marcelo relembra a o primeiro trabalho na tevê na novela Top Model. O folhetim está sendo reprisado no Canal Viva e o ator aproveita a oportunidade para fazer uma análise de sua estreia: “hoje eu  vejo como eu era uma criança naquela época!” Confira a entrevista:

 

Guia da TV: Como é o Kléber, de Amor Eterno Amor?
Marcelo: “Eu faço o Kléber, que é um advogado casado com uma mulher um pouco mais velha que ele, interpretada pela Suzy Rêgo. Os filhos são dela e não dele. Mas ele tem uma relação ótima com a família. O único problema é o ciúme que ela sente do marido, por ser mais velha e ex-top model. Ela o vê como um garotão para ela. Mas ele até brinca com esse ciúme.”

Guia da TV: Você sentiu alguma semelhança com o que viveu com seu personagem em Escrito nas Estrelas? Por ter novamente uma esposa ciumenta?
Marcelo: “Ah, é bem diferente do que eu fazia com a Carolina Kasting na outra novela. Ali, era um ciúme doentio. Era mais possessivo, mais louco mesmo. O ciúme daqui não é uma doença, ele vem da insegurança dela. Mas ele gosta dela de verdade.”

Guia da TV: Ele vai se cansar dessa situação e procurar outra mulher?
Marcelo: “Olha, pelo menos no princípio da novela, não tem nada que dê a entender que ele vá ficar com outra mulher. Tem uma amiga da enteada dele que fica falando que ele é um gato! Mas isso é só dela, o Kléber nem olha para ela. Se a Elizabeth Jhin resolver desenvolver, será uma coisa meio tiozão, como foi com o Edson Celulari e a Cléo Pires em América. Mas, acho difícil isso acontecer. O Kléber é mesmo apaixonado pela mulher.”

Guia da TV: E como ele é no trabalho?
Marcelo: “No trabalho ele é completamente diferente do que ele é em casa. Em casa, ele brinca, é palhaço, se diverte com a mulher. Mas no trabalho ele é um cara sério, bem profissional. Chega a ser frio, porque ele sabe que os personagens do Luís Mello, Cássia Kiss e Carmo Dalla Vecchia querem tomar a fortuna da Verbena. Ele é muito correto e duro, tem aquele perfil de advogado mesmo, seguro de sua posição.”

Guia da TV: Ele vai ajudar o Carlos no futuro?
Marcelo: “Acho que provavelmente ele vai defender o Carlos no decorrer da novela. Deve cuidar da fortuna, da empresa da mãe, essas coisas.”

Guia da TV: Essa diferença de idade entre ele e a mulher fica clara na novela?
Marcelo: “Não tem uma definição de ser uma diferença tão grande assim. Acho que é de uns cinco ou seis anos. Mas até hoje, mesmo não sendo uma diferença gritante, eu acredito que seja uma diferença considerável para os nossos padrões brasileiros.  No Brasil, as pessoas ainda enxergam melhor o relacionamento de um homem mais velho com uma mulher mais nova do que de uma mulher mais velha com um homem mais novo.”

Guia da TV: E como é se ver no ar, aos 17 anos, no reprise da novela Top Model?
Marcelo: “Pois é, estava comentando hoje isso com a Ana Lúcia Torre. Quando eu me vejo em Top Model, me lembro da época em que gravei. Coloco para gravar em casa para assistir depois e fico viajando nisso. Me sentia um homem naquela época! Queria sair com a Malu Mader, com o Taumaturgo Ferreira, com o Nuno Leal Maia, com a própria Suzy Rêgo, uma turma que já tinha um pouco mais de experiência de vida que eu. Hoje eu  vejo como eu era uma criança naquela época! Eu tinha 17, fiz 18 anos durante a novela. Eu, Carol Machado, Gabriela Duarte, Adriana Esteves, todos nós éramos pirralhos ali.”

Guia da TV: E como estão os trabalhos para levar a peça Dona Flor e Seus Dois Maridos para o cinema?
Marcelo: “Eu e o Pedro Vasconcellos, que também é diretor da novela, estamos produzindo o filme. Ele é meu sócio desde 1993 e estamos trabalhando nesse longa há algum tempo. Já estamos com distribuidora e elenco principal fechado. Em Salvador, vamos fazer teste para os outros personagens. O Pedro quer usar artistas baianos para compor o resto do grupo. Devemos gravar lá para outubro.”

Guia da TV: E a peça?
Marcelo: “A peça volta em São Paulo, no Sérgio Cardoso, a partir de março. E a Carol Castro não faz mais, ela está se dedicando à novela só. Já estava cansada de viajar e fazer novela. Fernanda Vasconcellos está fazendo conosco.”

Mais lidas