Entrevista com Marcello Novaes, o Max de Avenida Brasil

Marcello Novaes está solteiro há quase seis anos  e garante que, é possível ser feliz sozinho. Concentrado em seu novo trabalho, o ator só tem o comemorar com Max, seu primeiro vilão na tevê. Com 30 anos de carreira, Marcello, que coleciona papeis memoráveis como o Raí de Quatro por Quatro e o Timóteo de Chocolate com Pimenta, mostra mais uma vez sua versatilidade. E os fãs de Avenida Brasil podem esperar mais surpresas por aí. O ator revelou durante o papo com a Guia da TV, que seu personagem vai morrer nos próximos capítulos da trama! Quem será que vai matar Max? Confira as revelações do ator nesta superentrevista:

 

Entrevista com Marcello Novaes

Foto: Orlando Oliveira / AgNews

 

Guia da TV: O Max é o personagem mais importante da sua carreira?
Marcello: “Com certeza! Se não for o mais importante, é um dos, como o Raí foi também, no mesmo peso de relevância em uma trama. Foi meu primeiro protagonista, nunca vou esquecer. O Max é meu primeiro vilão. E também por ser uma novela das nove, tem um peso maior.”

Guia da TV: Ele irá morrer mesmo?
Marcello: “Creio que sim. Desde o começo ele era um bom personagem, mas acho que ele acabou, junto com a trama, tomando uma proporção maior pela história mesmo. O Max nos planos do diretor, já teria morrido. Essa era a ideia inicial para o capítulo 120 e não morreu. Eu não sei mais, porque depois seria no capitulo 140, 150 e nada… Recebi o 162 e ainda estou dentro (risos)!”.

Guia da TV: Quem você acha que será o assassino?
Marcello: “Acho que o João (autor) está tirando todas as pessoas óbvias. como a Janaína, por exemplo. Mas do João a gente pode esperar qualquer coisa boa. Se o Max realmente morrer, deve ser uma surpresa para todo mundo. Não sei se também pelo fato das pessoas comentarem que ele morreria, e o João mudou de ideia.”

Guia da TV: O que justifica tanta maldade do seu personagem?
Marcello: “A história do Nilo é muito pesada. Criou o Max como qualquer criança daquela forma grotesca, sem base, estrutura e educação nenhuma. Tanto é que as pessoas me perguntam se eu o entendo e falo que sim, claro! Inclusive, eu passei a entender porque existem alguns Max na vida. Porque ninguém nasce ruim nem bom, as pessoas tem sua personalidade, mas nesse quesito se dá muito pelo que você ganha: carinho dos pais, escola, família, meio em que vivemos. E ele não teve nada disso.”

Guia da TV: Compor um perfil emblemático como esse é mais difícil?
Marcello: “O Max não tem absolutamente nada a ver comigo. Eu tive que realmente descobrir um entendimento o que seria o Marcello sem essa base, sem essa educação e valores familiares.”

Guia da TV: Como é a relação com seus dois filhos, cada um morando em casas separadas?
Marcello: “Somos muito amigos. O Pedro  e o Diogo, meu outro filho, moram mais comigo do que com as mães agora. Ficam quatro, cinco dias comigo. Mas é normal, acho principalmente por eles serem meninos e eu solteiro. Tem um estúdio de som em casa e os instrumentos que eles adoram. Eles têm irmãs mais novas e criança pequena dá mais trabalho. Então, automaticamente, já era previsto ficarem um pouco mais comigo. Mesmo porque, daqui a pouco, eles também vão embora ‘de mim’. Vai passar essa fase adolescente.”

Guia da TV: É verdade que Pedro (fruto de seu relacionamento com a atriz Letícia Spiller) seguirá carreira artística?
Marcello: “Eu creio que sim, se não tiver nos planos, pelo menos no sangue está. Porque o Pedro toca bateria e faz teatro. Fez um teste recentemente na Globo para ter o arquivo. Ele foi aprovado, mas em função ainda dos estudos acho que é prematuro ele entrar num estúdio e ficar nove horas, sem fazer esporte também. “

Guia da TV: Continua solteiro?
Marcello: “Sim, inclusive no final do ano vou completar seis anos em que estou sozinho.”

Guia da TV: Não ter uma pessoa ao seu lado por tantos anos foi uma escolha? Não sente falta?
Marcello: “Normal, acho que em todo mundo bate uma carência uma hora ou outra. A gente quer ter alguém, uma companhia. Mas me acostumei a recuperar e levantar.A gente pode ser feliz também sem um grande amor.”

Mais lidas