Entrevista com Leonardo Brício

Com menos de uma semana no ar, a minissérie Rei Davi já conquistou o público e é líder de audiência no horário. Mas isso não é nenhuma supresa. Com atores consagrados e uma superprodução, o resultado só poderia ser este: sucesso! Leonardo Brício, protagonista da minissérie, está um arraso e arranca os suspiros da mulherada a cada vez que aparece como o Rei Davi. Nesta entrevista, o ator de 48 anos, comentou sobre a preparação para este novo projeto, detalhes da vida pessoal e  porque trocou a Globo pela Record. Confira:

 

Entrevista com Leonardo Bricio

Foto: Michel Angelo / Rede Record

 

Guia da TV: Qual foi o maior desafio que você encontrou para dar vida ao personagem Davi?
Leonardo: “Acredito que o desafio maior foi percorrer toda essa trajetória da vida de Davi. Da história dele eu só conhecia o duelo dele com Golias. Mas assim que recebi o convite para dar vida ao personagem, de imediato aceitei.”

 

Guia da TV: Você teve alguma preparação especial- até mesmo por conta das lutas que o personagem precisa ter em cena- para compor Davi?
Leonardo: “Eu comecei no teatro fazendo esgrima. Depois, com o Roberto Talma, também fiz um trabalho do qual tive que lutar com espada. O que mais eu tive que treinar agora foi a forma de lutar também com a mão esquerda. As cenas de Davi são fortes emocionalmente. Elas são bem dramáticas e é como se tivesse fazendo Shakespeare. Atuei com máscara de látex e para me expressar, tive que me desprender de tudo. Eu tenho um contato, uma coisa ligada com a natureza, de falar com Deus através da natureza. E esse personagem tem isso, me remete a esse pensamento.”

 

Guia da TV: Você que é um ator experiente e teve passagem de sucesso pela TV Globo, vê muita diferença entre as duas emissoras?
Leonardo: “Não. Muita gente aqui era da TV Globo e não sinto muita diferença estrutural da Record para a Globo. O que acontece é que nós, às vezes, cometemos erros que eles não cometem mais.”

 

Entrevista com Leonardo Bricio

Foto: Michel Angelo / Rede Record

Guia da TV: O que motivou a troca de emissora?
Leonardo: “Eu já tinha acabado de fazer Da Cor do Pecado e surgiu o convite da Record. Aceitei por ser um novo desafio e aqui a emissora respeitou o meu teatro. Na Record eu pude conciliar o teatro com a tevê e isso é maravilhoso. Sou um ator de teatro também e não quero parar de fazer teatro.”

 


Guia da TV
: Você  fez algum trabalho especial para dar vida a Davi?

Leonardo: “Tive aulas com historiador, assisti a alguns filmes. Quando criança eu assistia ao filme Os 10 Mandamentos e ficava obcecado com os efeitos especiais para a época. Elegi uma música do filme Coração Valente que representa bem o espírito de Davi. Sou místico e fui à igreja católica, em templo espírita, de umbanda, fui a diversas práticas religiosas, até porque a religião está ligada à natureza e Deus está dentro da gente.”

 

Guia da TV: Por ser protagonista há maior número de cenas a serem gravadas. Você ficou preocupado com o volume de cenas a serem feitas?
Leonardo: “Sou bem zen, não sou pilhado. A minha preocupação era só com o volume das cenas em Diamantina, porque dependia do tempo estar bom ou não, para dar continuidade ao cronograma que teríamos que seguir aqui. Isso sim me deixou um pouco apreensivo.”

 

Guia da TV: Quando você não está gravando ou ocupado com outras atividades profissionais, de que forma costuma aproveitar as horas livres?
Leonardo: “Adoro ficar em casa ou ir para o sítio com os amigos. Nem mesmo para academia tenho ido nas horas vagas. Prometi voltar agora em 2012. Sou adepto do treino aeróbico, e fui atleta, esportista, e tenho essa herança genética que ajuda a me manter bem. Mas só vestir a armadura de Davi já é um treino para mim (risos).”

Matéria: Leonardo Bricio – Coletiva de Rei Davi
Entrevista: Márcio Mello 

Qual foi o maior desafio que você encontrou para dar vida ao personagem Davi?

Acredito que o desafio maior foi percorrer toda essa trajetória da vida de Davi. Da história dele eu só conhecia o duelo dele com Golias. Mas assim que recebi o convite para dar vida ao personagem, de imediato aceitei.

Você teve alguma preparação especial, até mesmo por conta das lutas que o personagem precisa ter em cena, para compor Davi?

Eu comecei no teatro fazendo esgrima. Depois, com o Roberto Talma, também fiz um trabalho que tive que lutar com espada. O que mais eu tive que treinar agora foi a forma de lutar também com a mão esquerda.

As cenas de Davi são fortes emocionalmente…

As cenas são bem dramáticas e é como se tivesse fazendo Shakespeare. Atuei com máscara de látex e para me expressar, tive que me desprender de tudo. Eu tenho um contato, uma coisa ligada com a natureza, de falar com Deus através da natureza. E esse personagem tem isso, me remete a esse pensamento.

Você que é um ator experiente e teve passagem de sucesso pela TV Globo, vê muita diferença entre as duas emissoras?

Não. Muita gente aqui era da TV Globo e não sinto muita diferença estrutural da Record para a Globo.  O que acontece é que nós, às vezes, cometemos erros que eles não cometem mais.

O que motivou a troca de emissora?

Eu já tinha acabo de fazer “Da Cor do Pecado” e surgiu o convite da Record. Aceitei por ser um novo desafio e aqui a emissora respeitou o meu teatro. Na Record eu pude conciliar o teatro com a TV e isso é maravilhoso. Sou um ator de teatro também e não quero parar de fazer teatro.

Para dar vida a Davi, você fez algum trabalho especial de composição?

Tive aulas com historiador, assisti a alguns filmes. Quando criança eu assisti ao filme “Os 10 Mandamentos” e ficava obcecado com os efeitos especiais para a época.  Elegi uma música do filme “Coração Valente” que representa bem o espírito de Davi. Sou místico e fui à igreja católica, em templo espírita, de umbanda, fui a diversas práticas religiosas, até porque a religião está ligada a natureza e Deus está dentro da gente.

Por ser protagonista há maior número de cenas a serem gravadas. Você ficou preocupado com o volume de cenas a serem feitos?

Sou bem zen, não sou pilhado. A minha preocupação era só com o volume das cenas em Diamantina, porque dependia do tempo estar bom ou não, para dar continuidade ao cronograma que teríamos que seguir aqui. Isso sim me deixou um pouco apreensivo.

Quando você não está gravando ou ocupado com outras atividades profissionais, de que forma costuma aproveitar as horas livres?

Adoro ficar em casa ou ir para o sítio com os amigos. Nem mesmo para academia tenho ido nas horas vagas. Prometi voltar agora em 2012. Sou adepto do treino aeróbico, e fui atleta, esportista, e tenho essa herança genética que ajuda a me manter bem. Mas só vestir a armadura de Davi já é um treino para mim (risos).

Mais lidas