Entrevista com Juliana Paes

Juliana Paes está pronta para arrasar! A atriz vai interpretar Gabriela, personagem de Jorge Amado que fez história na carreira de Sônia Braga. Apesar dos boatos e polêmicas a respeito de sua escolha como protagonista da minissérie, Juliana não se abalou e está empenhada em fazer um bom trabalho. E para que isto aconteça, a atriz dispensou até a maquiagem! Para Juliana, vale tudo para uma boa atuação. “Se tiver que ficar gorda, eu vou ficar.  Se tiver que ficar feia, eu vou  ficar. Amo meu trabalho.” Nesta entrevista, a atriz ainda comenta sobre as cenas mais quentes da minissérie e revela qual foi a cena mais difícil de fazer além de falar sobre a rotina com o filho,  o pequeno Pedro. Confira o bate-papo:

 

Entrevista com Juliana Paes

Foto: Estevam Avellar / Rede Globo

 

Guia da TV: Como é gravar sem maquiagem? Como fica a vaidade?
Juliana: “É diferente, eu gosto de estar produzida, mas para a personagem, eu não tenho esse tipo de vaidade, não. A minha primeira personagem, Ritinha de Laços de Família, não tinha maquiagem e  ficava com o cabelo preso. Depois eu fiz a Creusa em América, que também não podia ter maquiagem e usava uma roupa sem graça até o pé! E agora tem a Gabriela. Eu não tenho vaidade com meus personagens, não. Eu quero fazer. Se tiver que ficar gorda, eu vou ficar.  Se tiver que ficar feia, eu vou  ficar. Amo meu trabalho.”

Guia da TV:Você já gravou muito?
Juliana: “Bastante, mas não vi nada ainda.”

Guia da TV: Como é gravar um personagem que já foi marcante?
Juliana: “É gostoso, é bom saber que você tem em mãos um personagem bom para defender. É prazeroso, gostoso, dá aquele friozinho na barriga, aquela sensação de responsabilidade. Mas é bom, é muito bom! Me sinto desafiada por um bom personagem. Eu fui até a casa de Jorge Amado, peguei em minhas mãos o rascunho de Gabriela, batido à máquina!”

Guia da TV:O que mais lhe encantou na história de Gabriela?
Juliana: “O que mais encanta neste momento é a perspectiva de mudança. Ilhéus, naquela época, vivia uma fase de expectativa de uma vida melhor. As pessoas iam para lá achando que iam enriquecer, iam viver bem, então toda essa aura de positividade traz para novela uma energia muito boa, uma energia nova, de mudança. Aí chega Gabriela para bagunçar o coreto!” (risos).

Guia da TV: Qual o primeiro livro de Jorge Amado que você leu?
Juliana: “O primeiro livro de Jorge Amado que eu li foi Capitães de Areia, na escola ainda. Depois, acho que foi uma grande coincidência, porque talvez Jorge Amado já estivesse no meu caminho de alguma maneira. Antes de saber sobre a minissérie Gabriela, existia um projeto para o cinema, que acabou não dando certo, mas os produtores na época pediram para eu ler a obra de Jorge Amado para entrar no universo deles. Então, eu tinha começado a ler Tieta. Aleatoriamente escolhi Tieta, porque era um dos que eu não tinha lido. E quando estava no meio do livro,  fui convidada para fazer Gabriela. Então, larguei e já peguei Gabriela para ler.”

Guia da TV: Como foi sua conversa com Sônia Braga sobre a personagem?
Juliana: “Foi uma conversa breve. Eu recebi flores dela com um cartão carinhoso. Ela estava me parabenizando, falando que não podia ter escolha melhor. Ela foi muito carinhosa. Eu estava prestes a procurá-la, porque eu queria falar com ela. Mas ela conseguiu me achar antes!  Ela foi maravilhosa. Sônia é uma inspiração para mim, de fato. As pessoas falam muito sobre as comparações, sobre a responsabilidade. Tem tudo isso, sim, tem a responsabilidade, tem a coisa de você estar vivendo uma personagem tão mítica. Mas, acima de tudo, tem a minha admiração por ela, pela beleza, pela maneira como ela fez essa Gabriela linda. Ela é a minha grande inspiração por esse trabalho.”

Guia da TV: Você assistiu algo sobre Gabriela?
Juliana: “Não assisti muita coisa não. Assisti ao filme e vi algumas cenas da novela, que não são muitas. Mas não tem não tem muita coisa, é difícil achar cenas da novela anterior. E quando fui pedir umas cenas para ver, a própria orientação da direção foi para eu não ver. Porque você cai em uma armadilha, você fica tentada a querer fazer igual porque é uma coisa bem-feita, que foi feito com tanta graciosidade. Enfim, para não cair nessa armadilha, eu vi pouca coisa.”

Guia da TV: Como está fazendo para conciliar a maternidade com o trabalho?
Juliana: “Está sendo bem difícil. Já faz vários dias que só vejo o Pedro dormindo. Eu estou com o coração na mão, mas eu sabia que isso ia acontecer. Eu descanso com a ideia de que ele sabe que eu sou a mãe dele, que ele não vai esquecer de mim.”

Guia da TV? E cenas íntimas? Como está sendo fazer?
Juliana: “Sinceramente, as cenas calientes são mais difíceis de assistir. É uma tortura, porque você fica olhando e com medo de aparecer alguma coisa errada. São ângulos que nem você mesma vê. Porque você se vê no espelho em pé. A gente não se vê no espelho durante uma transa, uma relação. E nessas horas, na cena íntima, você se vê por ângulos que não está acostumada, mas tudo bem. Fazer não é problemático não. O ator tem que saber se entregar, usar o corpo como instrumento.  E não tem como você contar a história de Gabriela sem cenas sensuais, não existe essa possibilidade.”

Guia da TV: Qual foi a cena mais difícil de Gabriela que você fez até o momento?
Juliana: “Foi uma cena que eu tive que passar frio. Choveu na cidade finalmente, depois da seca, da estiagem. Está acontecendo uma procissão. E nesse dia estava especialmente frio no Projac. Já não tinha mais a luz do sol. Então acho que não foi difícil só para mim, foi para o elenco inteiro, porque a gente tinha que fazer cara de que estava se deleitando com a água enquanto a gente estava morrendo de frio. Mas acho que a gente enganou direitinho.”

Tags:

Mais lidas