Entrevista com Fabiana Karla

Entrevista com Fabiana Karla

Foto: Anderson Borde / AgNews

 

No ar como a divertida comandante do metrô Zorra Brasil, quadro do programa Zorra Total, a pernambucana Fabiana Karla, de 36 anos, diz que a personagem Dil Maquinista é um marco em sua carreira. Além de garantir boas gargalhadas ao público no humorístico, a atriz ainda esbanja carisma e simpatia no Giro Domingão, quadro do Domingão do Faustão, no qual roda o Brasil mostrando curiosidades de diversas regiões do país. Neste bate-papo com a Guia da TV, ela fala, entre outros assuntos, do quanto se sente realizada por fazer o que gosta.

 

Guia da TV: Como é interpretar a Dil Maquinista no Zorra Total?
Fabiana: “Maravilhoso e, ao mesmo tempo, um desafio grande, porque não sou uma imitadora, sou uma atriz e optei por fazer a personagem no instinto, sem maiores estudos, para não me comprometer com imitação. Nunca fiquei vendo vídeos dela (da presidente Dilma), apenas lembrei do último debate em que ela se movimentava bem. Essa foi a memória que usei para criar a Dil Maquinista. Será um marco na minha carreira.”

 

Guia da TV: Fazer comédia sempre foi sua praia ou foi por acaso que acabou caindo nesse gênero?
Fabiana: “Sou uma atriz e faço o que é proposto, mas acho que já nasci com um senso de humor apurado. Deve ser a água do Nordeste.”

 

Guia da TV: Dizem que é mais difícil fazer uma pessoa rir do que chorar. Acredita nisso também? Por quê?
Fabiana: “Acredito. Se você contar uma história com verdade, você emociona e tira lágrimas das pessoas. Mas tem coisa pior que contar uma piada numa plateia cheia e ninguém rir? É muito difícil… Precisa ter o tempo certo, a medida exata e isso não se aprende, você já nasce com esse tempo de comédia dentro de você.”

 

Entrevista com Fabiana Karla

Foto: Onofre Veras / AgNews

Guia da TV: Você se considera uma pessoa naturalmente engraçada?
Fabiana: “Dizem meus amigos que eu nervosa ou contando minhas tragédias sou mais engraçada ainda… Não sei, acho que sou (risos).”

 

Guia da TV: O que tira você do sério no dia a dia?
Fabiana: “Impunidade, falta de respeito, preconceito, desonestidade… E se mexer com meus filhos com as pessoas que eu amo, eu saio do sério. Sou humana! (risos).”

 

Guia da TV: O que te faz dar altas gargalhadas e faz o seu dia ficar mais alegre?
Fabiana: “TV Senado (risos) é muito divertido, mas não é isso que deixa meu dia mais alegre… O que alegra o meu dia é saber que meus filhos estão bem, com saúde e que terei mais um dia de trabalho fazendo o que gosto.”

 

Guia da TV: Você também está no Domingão do Faustão, e toda semana traz sempre uma reportagem bacana. Qual foi a matéria que mais te marcou até o momento e por quê?
Fabiana:
“Adorei fazer o cruzeiro do Carlos Evanei (RJ) e do Claudinho baterista de Itiruçu, na Bahia. Os dois são artistas incríveis e, mesmo com dificuldades, vivem do seu talento. Adoro histórias de pessoas anônimas com superação de vida.Isso inspira as pessoas e mostra que você pode ter sucesso na vida, independente mente de fama. Mas todas as matérias deixam algo especial pra mim.”

 

Guia da TV: O que ainda não fez na TV que gostaria de fazer?
Fabiana: “Ah, uma vilã! Adoraria.”

 

Guia da TV: Se sente uma mulher realizada: como profissional e mãe? O que falta pra completar a sua felicidade?
Fabiana: “Me sinto sim. Sou abençoada por Deus por ter filhos maravilhosos e por poder viver do meu trabalho, que me realiza tanto. Para completar minha felicidade, eu gostaria que meus filhos morassem comigo, já que vivem em Recife, por opção.”

 

Entrevista com Fabiana Karla

Foto: Georgeana Godinho / Rede Globo

Acostumada a estar na pele de personagens
Fabiana Karla já está habituada a ouvir nas ruas os bordões ditos por ela na TV, como “Isso não te pertence mais”, que virou mania com a personal trainer Dra. Gislaine, ou “Pode… Não pode”, que conquistou os telespectadores na época em que a atriz dava vida a Dra. Lorca, a nutricionista gordinha que só prescrevia dietas hipercalóricas, ambas do Zorra Total. “Recebo muito carinho de fãs de diferentes idades, mas nem sempre é só carinho, não! Também tem aquele que chega dando um tapão nas costas e dizendo: ‘Pode ou não pooode?!’ ou o que tira algo da minha mão e manda um: ‘Isso não te pertence mais! Mas eu tiro de letra e sempre levo na brincadeira. São coisas que fazem parte da minha profissão e, no caso do humor, a relação é diferente mesmo; o fã quer sempre fazer mais piada do que você. É como se ele quisesse contracenar um pouco”, diverte-se a atriz.

Mais lidas