Entrevista: Bianca Bin fala sobre a experiência de interpretar uma vilã

Bianca Bin de vestido jeans

Foto: Zé Paulo Cardeal / Rede Globo

 

Depois de Malhação, Passione e Cordel Encantado, Bianca Bin está de volta para enfrentar um desafio daqueles! A atriz dá vida a Carolina, em Guerra dos Sexos, novela de Silvio de Abreu. Por ser a primeira vilã de sua carreira, Bianca torce para que o público não a odeie e garante que sua personagem não vê maldade em suas atitudes. “Eu espero que não tenham tanta raiva de mim, que entendam os motivos dela, a cabeça dela, essa doença”, confessa. Apesar da carinha de boa moça, Bianca mostra sua versatilidade e  conquista o público em mais um trabalho na tevê. Essa menina vai longe! Confira o bate-papo:

Guia da TV: Você sentiu receio de interpretar uma vilã e ser malvista nas ruas pelo público?
Bianca: “Eu acho que o público já tem mais esclarecimento do que antigamente. Antes, a gente ouvia essa história de que ator apanhou na rua. Acho que hoje em dia, não tem mais isso não. Todas as maldades que minha personagem faz, pra ela, não tem o peso da maldade. É como se fosse uma patologia. Essas pessoas que têm o costume de mentir, que a mentira vira uma realidade, para elas, essa mentira não tem o peso que teria para gente. Para ela, é por uma boa causa. É para tirar a mãe dessa vida de feirante, para dar um futuro melhor para o pai, uma casa melhor. Então, eu quero ver se o público vai entender isso com o passar dos capítulos.”

Guia da TV: Mas você quer ter essa experiência de ser odiada pela primeira vez?
Bianca: “Eu não sei. A gente defende tanto a personagem, tem desculpa pra tudo, tem argumento pra tudo, espera ser compreendida. Eu espero que não tenham tanta raiva de mim, que entendam os motivos dela, a cabeça dela, essa doença. Ela não vê vilania nisso. Não tem essa noção. Ela não é boba, sabe que ela está manipulando, que ela está mentindo, mas pra ela não tem o peso que teria pra gente, para qualquer um.”

Guia da TV: Depois de a Açucena sofrer tanto, agora pelo menos deu essa virada, né, Bianca?
Bianca: “Está muito bom, está muito divertido. Sair da minha zona de conforto, que era fazer drama e mocinha, para uma coisa completamente diferente, uma novela que é uma comédia. Está sendo desafiador, mas muito instigante, muito prazeroso. Foi uma grande oportunidade que o Silvio de Abreu me deu. Aliás, eu devo a minha carreira a esse homem porque ele me tirou de Malhação e me deu a oportunidade de fazer Passione, no horário nobre. E agora, no começo desse ano, eu recebi o meu primeiro convite pra fazer essa vilã, que é a primeira vilã da minha carreira também. Ele apostou as fichas dele em mim, confiou mesmo no meu trabalho. Nunca me viu fazendo vilã, nunca me viu nesse lugar e, mesmo sem teste nenhum, me fez esse convite. Então, eu estou muito honrada por fazer esse personagem, por ter essa oportunidade. Muito feliz mesmo e com uma responsabilidade imensa nas costas, de atender essa expectativa e de surpreender.”

Guia da TV: Buscou alguma inspiração para fazer essa personagem? Alguma pesquisa?
Bianca: “Não. Como a novela é uma comédia, não tem esse peso do drama, as cores da Carolina são outras. Eu também não fiz laboratório nenhum. Como eu já vivi muito da realidade das novelas do Silvio, ambientadas em São Paulo, foi mais fácil. E eu acho que todos os elementos que a gente precisa estão no texto. E eu procuro estudar o que não está escrito, o que fica nas entrelinhas. É essa teia, o relacionamento dela com os outros personagens, como ela se mostra para cada um, o que ela vê em cada um, isso que me guia. Com tudo isso, a gente vai criando uma personalidade, uma pessoa, uma criatura. É essa a minha composição.”

Guia da TV: Você procurou saber alguma coisa da versão original?
Bianca: “Não. No começo eu até falei com o Silvio: ‘Silvio, eu não estou pesquisando, eu não estou vendo o trabalho da Lucélia Santos. Você acha que eu deveria ver?’ Ele disse: ‘Não. Eu estou reescrevendo a novela, vai ser uma novela nova e eu não quero essas referências’. Então, eu já não tive a iniciativa de procurar, porque eu não queria influenciar na minha criação. Agora também não tem mais por que ver. A Carolina já está mais ou menos pronta, construída. E o Silvio também pediu pra que não visse.”

Mais lidas