Entrevista Adriane Galisteu

Entrevista com Adriane Galisteu

Foto: Celso Akin / AgNews

Ela é  linda, loira e uma simpatia! A Guia da TV bateu um superpapo com Adriane Galisteu durante o primeiro dia da Couromoda. A apresentadora está de volta à tevê com o programa Agora é Tarde, na BAND. Além da nova rotina de trabalho, ela falou um pouco sobre a vida de mãe e como se divide entre carreira e o pequeno Vitório, além de contar detalhes da nova coleção de bolsas. Confira a entrevista:

 

Novo programa:
“Está ótimo! Estamos lá, de segunda a sexta, às 15h45, naBAND. Eu estou me divertindo, estou superfeliz.”

 

Bolsas:
“Não importa muito o tamanho da bolsa. Mulher quer sempre ter a pequena, a média, a grande, a maior ainda. Mulher não quer ter uma bolsa só, quer ter todas. Por isso que tem que ser boa, bonita e barata.”

 

Coleção de Bolsas Adriane Galisteu:
“Eu participo do processo de criação, faz parte do meu trabalho. Eu quero manter as coleções, quero que venha a terceira coleção, a quarta coleção… é um casamento que deu certo! Quanto mais eu me envolver, melhor fica o produto para eu usar. Eu tenho que usar, eu tenho que gostar do produto! É claro que eu não faço só pra mim e é claro que algumas bolsas eu gosto menos do que outras, mas de uma maneira geral, eu tenho que usar o produto. Da minha personalidade, a coleção tem essa mistura, tem de tudo! Tem um pouco para a mulher executiva, que bota um tailleur e sai de casa mais arrumada, mais executiva. Tem pra quem gosta de um estilo mais moderno… tem pra quem é moderno, tem pra quem é tradicional, tem para todos os gostos.”

 

Bolsa de Mãe
“A chave de casa nunca pode faltar, jamais. Outro dia eu estava com o Vitório, cheguei em casa, lembrei que não estava com a chave de casa! Não tinha ninguém na minha casa! Naquele momento, meu funcionário tinha levado o meu cachorro pra rua, o Vitório gritando no hall, foi caótico! Chave de casa e uma chupeta extra vão sempre bem! E sempre um brinquedinho também!”

 

Falta de tempo x carreira x sucesso profissional
“Falta de tempo é difícil, muito difícil! Tem hora que eu tenho vontade de chorar, juro! Eu tô numa semana de estreia, então, fica mais difícil ainda me organizar. Agora tô inventando de fazer teatro! Daqui a pouco eu vou estar de quinta a domingo, no Teatro das Artes. E vou me atrapalhar mais ainda! Mas, honestamente, eu acho que o sucesso é gostar do que faz! Às vezes demora para vir o reconhecimento. Mas se você gosta do que faz, você não tem vontade de desistir. A pergunta é: você abriria mão de alguma coisa que você faz para dormir mais? Não, correto? Isso é muito claro pra mim. Eu amo o que faço! Quanto às oportunidades: algumas eu cavo, outras eu abraço e outras eu descarto, porque eu sou humana e não consigo fazer tudo ao mesmo tempo. Eu loto a minha agenda e faço tudo o que eu posso. Aos sábados e domingos, eu evito. Agora, por exemplo, eu vou ter o teatro, mas eu combino: são só três meses. Eu não vou fazer uma temporada maior do que essa. Eu sei que não dá para ficar em cartaz mais do que isso… Tem o Vitório que fica prejudicado. Ele está comigo o tempo inteiro. É claro que não vou trazê-lo para um evento lotado como esse, mas se ele precisar ir comigo pra Band ele vai… tem minha mãe, tem o pai… De uma maneira geral eu me atrapalho com os horários, mas o Vitório não sente isso. Ser mãe é o meu melhor papel.”

 

Mais lidas