Dislexia

O que é?
Segundo a especialista, dislexia não é uma doença e sim um transtorno de aprendizagem que cria enorme dificuldade na leitura ou na escrita sem uma explicação aparente. A maioria das crianças dislexas sofrem por não conseguirem acompanhar os amigos na escola, ficando com a auto-estima baixa. Isso torna a criança agressiva ou apática, fazendo com que o convívio escolar ou familiar se torne difícil.

Apoio
Como não se trata de imaturidade, fazer a criança dislexa repetir de ano na escola não é a solução, já que o tempo não resolve o problema. O que se espera é que a escola tenha sensibilidade para tratar as crianças dislexas, buscando alternativas para que tenham qualidade e sucesso no aprendizado. Aos pais, cabe procurar meios e oportunidades de tratamento adequados e ter paciência.

Tratamento
Se notar que seu filho possui esse tipo de dificuldade, procure imediatamente a ajuda de um psicopedagogo: a orientação pode ser na escola. Quanto mais cedo você tratar esse transtorno, maior será a qualidade de vida do seu filho.

Atenção
A dislexia pode vir acompanhada de outras dificuldades, como transtornos de atenção, de coordenação e de conduta que, sem dúvida, podem ter conseqüências desastrosas quando ignoradas.

Sinais da dislexia
Crianças entre 4 e 6 anos:

A omissão, a inversão ou a confusão de fonemas; dificuldade em diferenciar cores, formas, tamanhos e posições; vocabulário empobrecido; dificuldade na expressão oral.

Crianças entre 6 e 9 anos:
Permanecem ou aumentam as inversões, confusões, trocas e omissões de fonemas; O vocabulário passa a ser cada vez mais empobrecido em relação à faixa etária; Leitura geralmente silabada, hesitante e mecânica;  A escrita e a estruturação das idéias são confusas.

Crianças com mais de 9 anos:
Dificuldade na estruturação das frases; Inadequação no uso dos tempos verbais; Negam-se ou evitam ler, principalmente em voz alta; Escrita muito irregular, com erros ortográficos; Compreendem melhor o que é lido para eles do que o que leem.

Consultoria: Maria Irene Maluf, psicopedagoga e presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia.

Mais lidas