Dieta do Zeca Camargo

O apresentador revela o que mudou com a perda de peso em 90 dias

Dieta do Zeca CamargoO que ele fazia de errado
• Comia poucas vezes ao dia, concentrava muito sua alimentação e tornava seu metabolismo lento, fazendo com que a absorção fosse maior e houvesse o acúmulo de gorduras no tecido.
• “Comer fracionadamente é melhor para o organismo porque faz com que ele trabalhe mais, reduzindo a fome. Isso nos torna mais seletivos na hora das refeições”, explica a nutricionista.
• Outro problema do apresentador era a não ingestão de água, fundamental para a função metabólica e hidratação do corpo.
• Zeca comia muita carne vermelha e gordura, de forma geral, o que aumentava o ácido úrico, a gordura saturada e o colesterol.
• “Ele bebia vinho com muita frequência, o que aumentava a ingestão calórica, além de contribuir para o ácido úrico e o aumento de peso. Também é ruim para o fígado, além de tornar o organismo lento”, avalia.
• Além disso, ele comia pouca fruta e pouco carboidrato e faltava mais treino aeróbico.

Mudanças no cardápio
– Nada de doces: “ainda estou sem comer doces, mas que nunca me fizeram muita falta. Provavelmente vou voltar a comer alguma coisa depois do projeto, mas com muita moderação”.
– Redução da bebida alcoólica: “as bebidas alcoólicas também diminuíram bastante e não fazem tanta falta assim. É legal escolher uma ou duas noites na semana para beber. Mais que isso, você vai sair perdendo…”.

Lição que aprendeu: “é possível mudar os hábitos, sem grandes sacrifícios. Alimentação e exercícios devem andar juntos, só um esforço, ou só o outro, não adianta nada”.

Novas descobertas no mundo da alimentação: “aprendi a comer mais fibras! Sempre achei que essas barras de cereal – e os cereais em geral – não tinham gosto de nada. Mas descobri que podem ser um grande acompanhamento para qualquer refeição. Agora não abro mão disso!”.

Dieta do Zeca CamargoDicas valiosas: “a mais importante, no que se refere à alimentação, é a regrinha de comer alguma coisa a cada três horas para seu organismo estar sempre trabalhando e você não chegar às refeições varado de fome. Com relação aos exercícios, a lição que fica é a da frequência: não adianta ser ‘atleta de fim de semana’, tem que se programar para fazer regularmente!”.

Dicas de cozinha: “como gosto de cozinhar, aprendia a fazer tudo com menos fritura e mais grelhado. Eu jogava tudo no óleo quente, especialmente legumes, que não precisam disso para ficarem saborosos. E guardei também uma dica simples: temperar a comida (com páprica, orégano, cardamomo e outros temperos) no lugar de apenas salgá-la”.

Benefícios com a perda da gordura: “mais disposição, sem dúvida. No meu caso, eu dormia muito mal: pouco e de maneira fragmentada. Isso mudou já na metade do programa. E com um sono melhor, toda a energia do corpo muda. Não tenho mais preguiça para nada, muito menos para correr!”.

Parte do corpo que ficou mais bonita: “todos falam e é visível na tevê que o rosto deu uma boa afinada. O pescoço ficou mais definido, se nota no espelho. E mexe com a autoestima de maneira muito positiva!”.

Participação no Medida Certa: “passaria novamente por essa experiência sem problema e recomendo que todo mundo o faça. No início, o maior obstáculo foi o mau humor, que vem com as limitações impostas. Mas ele não dura muito – mesmo! E depois, é só colher os frutos”.

Vigilância do público nos 90 dias: “a ‘fiscalização’ do público foi sempre muito bem-vinda! Era um bom sinal de que as pessoas estavam torcendo pelo nosso sucesso e nos deu muita força. Não via como uma cobrança, mas uma responsabilidade. O único ‘efeito colateral’ disso foi uma certa ansiedade na hora dos exames finais. Mas fui com confiança!”.

Recado para as pessoas que se inspiraram na sua força de vontade: “não é difícil, muito menos impossível! Também não é simples, precisa se dedicar. Mas esse equilíbrio você acha dentro de você mesmo. Acredite!”.

Texto e entrevista: Márcio Mello/Colaborador
Foto: Helio Motta/Colaborador, Renato Rocha Miranda, Frederico Rozario e Estevam Avellar/Rede Globo

Mais lidas