Dieta do tipo sanguíneo

Em 1996, o naturopata americano Dr Peter D’Adamo lançou o livro “A Dieta do Tipo Sanguíneo”, no qual são expostas ideias de como as substâncias que compõem os alimentos podem intervir na corrente sanguínea. O estudo do Dr A’Adamo não foi comprovado cientificamente, mas é baseado em uma série de testes de alimentação.

A nutricionista Sandra da Silva Maria, que trabalha em uma Gastro Clínica de São Paulo, esclarece que o estudo do tipo sanguíneo contém muitas controvérsias. “Apesar de não ter base científica, a dieta produz efeitos sobre o organismo levando ao bem-estar daqueles que a seguem”, pondera.

 

Veja quais alimentos são indicados para cada tipo de sangue

Foto: Shutterstock

 

Como funciona?

No livro, Peter afirma que os alimentos possuem lecitinas que podem levar à interrupção da corrente sanguínea. “As lecitinas se ligam às glicoproteinas e aos glicolipídios causando aglutinação, ou seja, pequenas moléculas contidas nos alimentos fazem com que o sangue e outros tecidos celulares se colem uns aos outros”, esclarece Sandra.

A nutricionista Kelly Salute Balieiro afirma que, de acordo com a teoria, o tipo sanguíneo determina funções digestivas e estruturas imunológicas. Portanto,  alguns alimentos podem causar emagrecimento ou aumento de peso em função da funcionalidade do organismo.

A dieta é baseada em três tipos de alimentos: os benéficos, os neutros e os nocivos. Kelly explica: “Os benéficos previnem e tratam doenças; os neutros não previnem doenças, porém, também não prejudicam a pessoa desde que consumidos com moderação; os nocivos podem agravar ou causar danos à pessoa”.

Com base na dieta do tipo sanguíneo, veja quais alimentos você deve passar longe na hora das compras e quais não podem faltar no carrinho:

 Tipo O

Prefira: carne bovina, carne de carneiro, vitela, cordeiro, bacalhau, sardinha, badejo, salmão, queijo de soja, ameixa, nozes, figo, abóbora, brócolis, espinafre, acelga, salsa, azeite.

Evite: carne de porco e derivados, caviar, salmão defumado, polvo, creme de leite, iogurte, leite, laranja, morango, coco, amora, amendoim, berinjela, champignon, milho, repolho, cereais, pão, óleo de milho.

Tipo A

Prefira: carne de frango, bacalhau, salmão, sardinha, truta, queijo de soja, abacaxi, ameixa, cereja, figo, limão, amora, moranga, alface romana, acelga, brócolis, cenoura, farinhas de centeio, arroz, alho, molho de soja, chá verde, café, gengibre, vinho tinto.

Evite: carne bovina, de carneiro, de porco, vitela, mexilhões, camarão, ostra, creme de leite, sorvete, leite, manteiga, requeijão, caqui, carambola, coco, repolho, tomate, inhame, batata, berinjela, farinha de trigo, alcaparra, gelatina, vinagre, cerveja, licor, chá preto e refrigerante.

Tipo B

Prefira: carne de carneiro, cordeiro, coelho, bacalhau, salmão, linguado, badejo, iogurte, leite, queijo, ovos, ricota, abacaxi, banana, mamão, ameixa, uvas, batata doce, berinjela, beterraba, brócolis, couve, repolho, arroz integral, gengibre, salsa, hortelã, pimenta, açafrão.

Evite: carne de frango, de pato e de porco, camarão, ostra, polvo, queijo fundido, sorvete de leite, caqui, carambola, coco, azeitona, tomate, broto de feijão, milho, farinha de trigo, canela, amido de milho, gelatina, refrigerante, bebidas destiladas.

Tipo AB

Prefira: carne de carneiro, de coelho, de cordeiro e  de peru, atum, bacalhau, truta, coalhada, iogurte, mussarela, ricota, abacaxi, ameixa, cereja, figo, limão, kiwi, uva, framboesa, aipo, alho, beterraba, brócolis, arroz, farinha de trigo, aveia, curry, gengibre, camomila.

Evite: carne bovina, de frango, de porco e vitela, anchova, camarão, siri, linguado, leite, creme de leite, queijo parmesão, provolone, manteiga, banana, caqui, goiaba, laranja, manga, milho, nabo, pimentão, rabanete, cereais matinais, amido de milho, alcaparras, tapioca, vinagre, pimenta, malte de cevada.

 

Consultoria:

Nutricionista Kelly Barbeiro /Femme Laboratório da Mulher, São Paulo.

Nutricionista  Sandra da Silva Maria / Clínica Gastro Obeso Center, São Paulo.

Mais lidas