Dieta da libido

Dieta da libido

Foto: PureStockX/DIOMEDIA

A diminuição do desejo sexual nem sempre é um problema de saúde: ela pode estar associada a um desequilíbrio nutricional. Com uma alimentação adequada, você pode turbinar o seu tesão, melhorar o seu relacionamento e, de quebra, mandar embora 4kg por mês! Quer experimentar? Siga as dicas e o cardápio elaborados pela nutricionista Lais Dreer Bonaite especialmente para você.

Pique nas alturas!

Nas mulheres, a falta de libido pode ser proveniente de estresse, baixa autoestima, hormônios alterados e, claro, deficiência nutricional com falta principalmente de zinco e vitamina B6. Para ajudar na luta contra esse problema, uma boa opção são os afrodisíacos, agentes naturais, aromáticos ou químicos que aumentam a liberação de hormônios que atuam no estímulo do prazer sexual.  “Uma dieta balanceada e com os alimentos adequados pode tanto aumentar a produção desses hormônios sexuais como aumentar a sensação de prazer”, garante a especialista.

Por isso, Lais selecionou os principais alimentos que ajudam a dar um gás no seu tesão, gerando uma sensação de bem-estar e, consequentemente, contribuindo para o controle de estados leve de depressão. “Além disso, eles têm relação direta com a perda do peso, já que melhoram a circulação sanguínea, o que acelera o metabolismo e leva a um maior gasto de energia corporal”, reforça. Mas atenção: esses alimentos devem fazer parte da sua dieta regularmente. Consumi-los apenas uma vez não aumentará o apetite sexual de repente. E se quiser potencializar os resultados, durma bem e pratique alguma atividade física: isso vai aumentar a sensação de prazer e acelerar a perda de peso.

Cardápio para uma noite quente

Café da manhã: 200ml de leite de soja batido com 3 colheres (sopa) de abacate e 1 colher (chá) cheia de ginseng (planta utilizada na medicina chinesa que melhora a qualidade de vida) em pó

Lanche da manhã: chá de anis-estrelado ou chá de romã ou chá de gengibre (preferencialmente sem açúcar)

Almoço:

1 escumadeira de arroz integral
1 concha (pequena) de feijão preto omelete temperado com cardamomo
Salada de folhas com tomate e vagem temperada com manjericão fresco

Lanche da tarde: 1 banana-prata com 2 colheres (sopa) de aveia

Jantar:

1 escumadeira de arroz cozido com pinhão
Salada de tomate, atum em conserva ao natural e temperos a gosto (aproveite para utilizar a pimenta vermelha in natura)

Ceia: 1 xícara (50ml) de café com um pedaço pequeno (40g) de chocolate amargo ou meio amargo

Abasteça sua despensa

Abacate: contém vitamina B6, que aumenta a produção de hormônios masculinos, e potássio, que aumenta a libido e regula os hormônios da tireoide.

Anis: os antigos gregos e romanos acreditavam que chupar sementes de anis aumentava o desejo. Elas têm compostos estrogênicos (hormônios femininos) que são conhecidos por induzirem efeitos similares aos da testosterona.

Aveia: possui uma substância chamada saponina que aumenta a testosterona, impulsionando o desejo sexual.

Banana: para se prevenir daquele possível nervosismo na hora H e melhorar o seu humor, coma banana, que eleva a quantidade de serotonina no sangue. Além disso, ela é rica em potássio e vitaminas do complexo B, necessárias para a produção de hormônios sexuais.

Café: para aumentar a sua libido, experimente uma dose de café após o jantar. A cafeína confere ao café sua propriedade estimulante, deixando o cérebro e o corpo em estado de alerta.

Chocolate: contém feniletilamina e serotonina, duas substâncias químicas que causam bem-estar. “Elas ocorrem naturalmente no corpo e são liberadas pelo cérebro quando estamos felizes ou apaixonados. Assim, o chocolate causa a mesma euforia que sentimos em estado de paixão”, compara a nutricionista.

Cardamomo: certas culturas consideram essa erva aromática um afrodisíaco poderoso e também alegam que ele é benéfico no tratamento da impotência. É rico em eucaliptol, que aumenta o fluxo sanguíneo onde for aplicado.

Manjericão: durante séculos, dizem que ele estimula o impulso sexual e aumenta a fertilidade, além de produzir uma sensação de bem-estar. É um dos muitos afrodisíacos conhecidos que tem a propriedade de melhorar a circulação sanguínea.

Ovos: ricos em vitaminas B5 e B6, atuam sobre a regulação de hormônios no corpo, principalmente o cortisol, diminuindo o estresse e aumentando a sensação de prazer.

Peixe: alimentar-se de peixes como salmão e atum aumenta a produção de ômega 3 e ácidos graxos, que elevam as taxas dos hormônios sexuais. Para completar, a utilização de gengibre no preparo da comida pode influenciar na lubrificação da vagina.

Pimenta: refeições com molhos picantes causam efeitos na sudorese como excitação, palpitação, aumento do ritmo cardíaco, semelhantes àqueles vivenciados durante as relações sexuais.

Pinhão: desde a Idade Média ele é usado para estimular a libido. Assim como as ostras, o pinhão também é rico em zinco.

Romã: os polifenóis dessa fruta ajudam na circulação sanguínea do corpo, que colabora diretamente para uma boa relação sexual.

Vinho: em quantidade moderada, além de fazer as pessoas se sentirem quentes, a bebida aumenta os níveis de estrogênio e propicia a circulação sanguínea.

 

Consultoria: Lais Dreer Bonaite, nutricionista da Clínica da Mulher e Família. Fone: (11) 2875-5600.

 

Mais lidas