Dia Mundial da Voz: saiba como cuidar das cordas vocais

Dia Mundial da Voz: saiba como cuidar das cordas vocais

Foto: Thinkstock/Getty Images

Professores, cantores, operadores de telemarketing e outros profissionais que utilizam a voz, devem tomar cuidados especiais com esse instrumento tão importante do nosso corpo. O que fazer para minimizar os danos nas cordas vocais? No Dia Mundial da Voz, veja dicas da fonoaudióloga Ana Elisa Moreira Ferreira, que explica o que acontece com a voz em cada fase da vida e dá dicas de como se cuidar:

De 3 a 6 anos de idade

Tanto os meninos quanto as meninas têm uma voz com tom mais agudo e bastante semelhante.

A partir dos 13 anos

As garotas ficam com a voz aguda (voz fina), mas não tão aguda quanto na infância. Os garotos adquirem um tom mais grave (voz grossa). É o chamado período de muda vocal, uma transição entre a voz da fase infantil e a da adulta e de grande transformação da voz.

Entre os 25 e os 40 anos

O período de melhor desempenho vocal está nessa fase. “Mas pode haver exceções quando não se possui boa saúde física e psicológica, além de fatores genéticos, sociais e ambientais”, afirma a especialista.

Depois dos 45 anos

As mulheres, por conta da diminuição dos hormônios, vão modificando o tom da voz. Muitas vezes, ela vai ficando mais grave.

Cuidados com a voz

– Descanse e durma bem: a voz reflete o cansaço físico e a falta de ânimo.

– Beba muito líquido (principalmente água): hidratar as pregas vocais evita o ressecamento, fazendo-as vibrar livremente.

– Mantenha a voz sempre no seu tom natural, sem esforço ao falar.

– Tenha sempre uma boa postura corporal.

– Poupe a voz: durante crises alérgicas e estados gripais, principalmente.

– Procure auxílio médico e fonoaudiológico: caso observe tosses, pigarros e alterações na voz que perdurem mais de duas semanas ou sempre que precisar aprimorar sua voz.

– Coma maçã: essa fruta tem propriedades adstringentes, limpando o trato vocal até os pulmões, e favorece uma voz mais saudável.

Evite:

-Comer muito chocolate ou tomar leite antes de falar (esses alimentos deixam a saliva mais viscosa, o que pode levar à vontade de pigarrear)

– Pigarrear (o pigarro pode machucar as cordas vocais)

– Choques térmicos (alimentos e bebidas muito gelados e também os muito quentes)

– Roupas apertadas que atrapalham a respiração (uma alteração na respiração leva a uma mudança na produção da voz)

– Fumo, álcool e drogas ß gritar e falar com forte intensidade.

 
Consultoria: Ana Elisa Moreira Ferreira – fonoaudióloga. Fone: (0xx11) 3262-2009. Site: www.univoz.com.br

Mais lidas