Conheça as principais raças de cachorro e suas características

Quer adotar ou comprar um cachorrinho e não sabe qual raça escolher? As veterinárias Larissa Peisino e Vanessa Lopes apontam as principais características de algumas raças de cachorro e comentam os benefícios da convivência com animais:

 

Foto: Thinkstock/Getty Images

Beagle

São animais de porte médio, tendo o peso entre 12 a 20kg. Na maioria das vezes são dotados de grande energia, precisando de bastante exercício diário e educação firme.

Suas habilidades são voltadas para a caça e são extremamente fáceis de serem adestrados. Não apresentam características de agressividade, sendo muito independente. É muito inteligente e esperto nas atividades cotidianas. Ideal para criar em casas com quintal grande. É um animal com fácil adaptação para a vida doméstica. Porém, apesar de serem afetuosos e de ótimo temperamento, deve-se evitar criá-los em apartamentos.

Foto: Thinkstock/Getty Images

Boxer

É uma raça considerada de média a grande porte, de origem alemã. São fiéis aos seus donos e territorialistas, sendo ótimos  para guarda e companhia, principalmente com crianças.

São brincalhões, exuberantes, curiosos e expressivos. São os companheiros perfeitos para uma família ativa. Essa raça pode ser bem teimosa, mas responde bem aos comandos. Geralmente se dá bem com outros cães e animais da casa. Necessita de atividade mental e física todos os dias.

Gosta de correr, mas também se satisfaz com longos passeios com coleira. Não se sente bem em climas quentes e não é um cachorro para viver fora da casa. Ele vive melhor se puder dividir seu tempo entre a casa e o quintal. Alguns roncam. O pelo é fácil de manter, e basta escová-lo de vez em quando para remover pelos mortos.

Foto: Thinkstock/Getty Images

Cocker

Originais da Inglaterra, são considerados de médio porte podendo atingir 15kg. São bons animais de companhia por sua fidelidade, apesar da tendência a agressividade. Apresentam latidos altos e frequentes e têm bastante energia.

São cães inteligentes e brincalhões, agitados, extrovertidos e bem sociáveis. Estão quase sempre felizes. Também são dóceis, afetuosos e carinhosos. Comem muito e às vezes gostam de curtir uma preguiça. Com todas estas características, o cocker spaniel americano apresenta-se como um excelente animal de estimação.

Foto: Thinkstock/Getty Images

Labrador

O labrador é considerado um cão de grande porte, podendo atingir 45Kg. São animais extremamente inteligentes e de fácil treinamento, sendo a principal raça utilizada como cão-guia de pessoas cegas.

Apesar de muitos serem criados em apartamentos, são animais de grande disposição, precisando de áreas para correr ou para praticar natação (atividade que adoram!). Não são solitários, portanto, necessitam da companhia dos membros da família. São ótimos para crianças e idosos quando bem educados.

Foto: Thinkstock/Getty Images

Maltês

O maltês é uma raça de pequeno porte, atingindo em média 4kg. São excelentes companheiros para idosos e crianças, pois costumam seguir o ritmo do dono. Na maioria das vezes são possessivos, o que requer uma educação firme, apesar de aprenderem com facilidade. Precisam de cuidados semanais com a pelagem.

O cão maltês é muito agitado, necessitando de atividade física. São inteligentes e rápidos para aprenderem coisas novas. Não gostam de ficar sozinhos por muito tempo e são ótimos cães de companhia. Gostam de brincar e são dóceis. Porém, costumam estranhar outros cães e pessoas não conhecidas. Apresentam-se quase sempre felizes (quando bem tratados) e adoram demonstrar carinho e afeto.

Foto: Thinkstock/Getty Images

Pastor Alemão

De origem alemã, os pastores são animais de porte grande, podendo atingir até 45kg. Eram muito utilizados em casas como cães de guarda. Apesar disso, hoje em dia são mais utilizados como cães policiais, por serem de fácil aprendizado e ótimo olfato. São muito ágeis, rápidos e espertos.

Na maioria das vezes são muito carinhosos com seus donos, sendo ótimos também para companhia. Eles latem com frequência.

Foto: Thinkstock/Getty Images

Pinscher

Apesar de ser considerada raça de pequeno porte, o pinscher, que teve origem na Alemanha, é considerado cão de guarda. São ousados, corajosos, curiosos e apegados.

São cães leais e inteligentes. Os pinschers adaptam-se facilmente em ambientes pequenos como apartamentos, por exemplo. Costumam comer acima das necessidades, desenvolvendo tendência para a obesidade. Sem treinamento e socialização, esta raça pode tornar-se agressiva.

Precisam de socialização com outros cães, pois podem atacar cachorros maiores do que eles. Curiosidade: a expectativa de vida de um pinscher miniatura saudável é de 15 anos de idade.

Foto: Thinkstock/Getty Images

Poodle

O poodle é uma raça que teve origem na Alemanha. Seu tamanho varia desde os toys até os classificados como standard, que podem chegar a 32kg em média. Na maioria das vezes são animais dóceis. 

São bem brincalhões e inteligentes. São ágeis nas atividades físicas e adaptam-se muito bem em ambientes pequenos como apartamentos, por exemplo. Não necessitam de grande quantidade de atividades físicas.

São carinhosos com o dono e pessoas conhecidas. Possuem o instinto de caça, podendo perseguir roedores, pássaros e outros animais de porte pequeno. Gostam e precisam muito de companhia, principalmente do dono, além de serem extremamente criativos em suas atitudes.

Foto: Thinkstock/Getty Images

Pug

Os pugs são animais de origem chinesa, que apesar da pequena estatura podem atingir 8kg. É uma raça que não tem o costume de latir. São dóceis, ótimos para crianças e idosos, e para serem criados em apartamento. Aprendem comandos básicos com uma certa facilidade. São animais sensíveis ao calor e soltam muito pelo.

O formato achatado do focinho dos pugs dificulta a respiração, que é ofegante. Em função disso, não suportam ficar em locais fechados por muito tempo, podendo até desenvolver problemas respiratórios.

Foto: Thinkstock/Getty Images

Salsichinha (Dachshund)

Também chamados de Teckel, são considerados cães de pequeno porte e atingem, na maioria das vezes, o peso máximo de 10 kg. Nem sempre apresentam bom comportamento por serem dominantes aos outros cães e possessivos com seus proprietários. Apesar disso, são afetuosos  e alegres.

Precisam de uma educação firme e exercícios diários para manter seu equilíbrio. São ótimos animais de companhia, mas com crianças o ideal é que sempre tenha o acompanhamento de um adulto, devido ao risco de mordidas. Possuem latido alto e bem forte.

 

Cachorro de apartamento

Não são todas as raças que podem viver tranquilamente em apartamentos. “Por uma questão de espaço, é possível indicar o Maltês, Pincher, Poodle e Pug. Mas é bom lembrar que o bom convívio no apartamento também depende da educação e adestramento do animal”, aponta Larissa Peisino.

Raças difíceis de cuidar

Além de estudar a raça de cada um antes de comprar seu cachorrinho, é preciso prestar atenção em alguns fatores. “A dificuldade de cuidar de animais de determinadas raças está diretamente ligada às suas necessidades básicas e o local onde vivem”, explica Vanessa Lopes.

A especialista ainda afirma que cada cão tem a sua particularidade, como por exemplo:

Maltês: necessita de cuidados diários com os pelos, como escovação diária a fim de evitar sofrimento com nós indesejáveis.

Pug: cuidado com a parte respiratória, uma vez que possui focinho bastante curto, restringindo a sua plena capacidade de respiração.

Labradores, Daschunds e Pastores Alemães: são raças predispostas a aparecimentos de afecções condroarticulares (uma espécie de lesão nas articulações), necessitando de cuidados especiais de prevenção e tratamento em determinado estágio de suas vidas.

Boxer: Raça superboa de lidar, porém com grande tendência a lesões tumorais.

Os benefícios da convivência com animais

Passar parte do seu dia com o seu cãozinho pode trazer muitos benefícios para a sua vida. “O cachorro melhora até mesmo a vida social das pessoas. Muitas acabam saindo mais de casa para passear e acabam adquirindo o hábito de caminhar mais pelo bairro, coisa que não faziam antes”, revela Larissa.

“Os cães nos permitem dormir mais tranquilamente, pois sabemos que estão cuidando da nossa casa, fazem festa quando chegamos e estão sempre por perto quando precisamos de companhia. O convívio com animais ajuda a controlar o estresse, diminui a pressão arterial e reduz o risco de problemas cardiovasculares. Pacientes hipertensos com animais, quando em situações de estresse, apresentam pressão arterial mais baixa do que aqueles que não têm pets”, completa Vanessa.

 

Consultoria: Vanessa da Silva Lopes, veterinária e responsável técnica do Laboratório Veterinário Mundo Animal

Larissa Peisino, Veterinária especializada em fisioterapia e reabilitação de animais

Mais lidas