Como tratar a candidíase

Como tratar a candidíase

Foto: Thinkstock/Getty Images

Provavelmente você já ouviu falar ou conhece alguém que já sofreu com a candidíase. Problema comum entre as mulheres, a doença é causada pela proliferação do fungo tipo candida albicans, que já faz parte da flora vaginal. No entanto, ele pode proliferar e causar desconfortos como dores e coceiras. Para saber como se prevenir e evitar esse incômodo, veja as dicas do ginecologista Gustavo Kröger:

Como tratar?

Assim como qualquer doença, é indispensável obter ajuda de um médico especializado. “O diagnóstico é feito pelo exame físico. Confirmado o diagnóstico, o médico geralmente prescreve comprimidos e cremes vaginais anti-fúngicos”, explica o especialista. Alguns tratamentos caseiros podem amenizar os ardores: “Banho de camomila pode aliviar a irritação local, reduzindo o ardor e prurido, mas não trata o problema como um todo. Apesar de resolver espontaneamente em alguns casos, na maioria das vezes necessita de avaliação médica com prescrição de anti-fúngicos imidazólicos”, ressalta o ginecologista.

Principais causas

Segundo o médico, alguns fatores podem influenciar na proliferação do fungo: “Tabagismo, diabete, uso de antibióticos, má higiene genital e uso de roupa íntima sintética são as principais causas”, explica. A candidíase pode incomodar em qualquer época do ano, mas o verão é mais propício para o surgimento da doença: “Como todo fungo, a candida se prolifera em ambientes quentes e úmidos. Dessa forma, o calor pode propiciar a alteração do pH vaginal”, revela.

Transmissão

O médico também conta que a candidíase não é considerada uma doença sexualmente transmissível, mas o parceiro pode sofrer as consequências. Nesse caso, ele é apenas um portador, mas também deve procurar ajuda médica e tomar medicamentos anti-fúngicos.

Consequências

Se não for tratada a tempo, a candidíase pode evoluir para um caso mais grave: “A candidíase pode facilitar a aquisição de doenças sexualmente transmissíveis e aumentar as chances de proliferação de bactérias na vagina, as quais podem ascender até o útero, levando à endometrite ou doença inflamatória pélvica aguda. Isso pode resultar em complicações, como obstrução das tubas uterinas, o que causa a infertilidade”, pontua o ginecologista.

 

Consultoria: Dr. Gustavo Kröger, ginecologista e obstetra da Clinica Genics Medicina Reprodutiva e Genômica

 

Mais lidas