Como se prevenir das doenças típicas do outono

Mulher espirrando

Foto: Thinkstock/Getty Images

O outono é a época do ano mais propícia para doenças respiratórias e alergias. Mas por que isso acontece? Como as estações do ano influenciam na nossa saúde? Para responder essas e outras perguntas, o Papo Feminino conversou com o alergista Jorge de Oliveira, diretor da Clínica Pró Imuno, do Rio de Janeiro, que explica como se prevenir das doenças típicas do outono:

Alergias mais comuns

Segundo o especialista, a alergia respiratória mais comum no Brasil é a rinite alérgica: “A rinite alérgica é um processo inflamatório da mucosa nasal que pode afetar também outras partes do corpo como os olhos, os seios da face e a garganta, além de aumentar o risco de crises em pacientes asmáticos”.

O médico também explica por que o outono pode ser considerado um período complicado para quem sofre com alergias: “Fatores climáticos influenciam na sazonalidade de alguns vírus respiratórios que podem deflagrar infecções e/ou crises alérgicas. As alergias também ocorrem mais frequentemente por exposições ao frio e a roupas que ficam guardadas durante todo o ano e são usadas sem lavagem prévia. Estas roupas ficam infestadas de fungos e ácaros, que são os principais fatores de sensibilização do indivíduo que tem alergia respiratória”.

Métodos de prevenção

A melhor forma de se prevenir das alergias e problemas respiratórios é evitar o contato com os famosos ácaros. “Evite exposições aos aeroalergenos, como ácaros, poeira, fungos, epitélios de animais por meio de medidas de controle ambiental”, alerta o médico.

Ele ainda aconselha: “É importante se vacinar contra a gripe, evitar locais fechados sem circulação de ar adequada com excesso de pessoas. Outra dica é lavar as roupas típicas de temperaturas mais frias antes de usá-las, como cobertores e casacos”.

Consequências

Se não forem tratadas corretamente, as doenças respiratórias podem ser fatais. Segundo o alergista, ao contrário do que muitos pensam, o tratamento de quem tem asma alérgica, por exemplo, deve ser feito com uso de medicações e acompanhamento de um especialista na área.

Teste de alergia

O médico aponta os principais tipos de testes para detectar alergias respiratórias:

1) Teste cutâneo de puntura:

Este teste é feito colocando gotas de extratos alergênicos dos principais causadores de alergia (ácaros, fungos, poeira, epitélios de animais, pólen) no braço do paciente e em cada gota depositada, passa-se um puntor de plástico para que haja um contato maior deste extrato com a pele. Aguardando 15 minutos, o examinador verifica o tamanho da reação local e observa se o paciente é sensível ou não a algum alergeno.

2) Teste in vitro:

O teste in vitro é feito através da análise do sangue, verificando a quantidade de imunoglobulina E (IgE) específica para o alergeno suspeito.

3) Teste de provocação:

O teste de provocação é feito com a inalação de extrato do alergeno e verificação de reações e análise do muco através de esfregaço. Esta técnica é pouco utilizada por provocar reações potencialmente prejudiciais ao paciente.

 

Consultoria: Jorge de Oliveira, alergista e diretor da Clínica Pró Imuno, do Rio de Janeiro.
www.clinicaproimuno.com.br

Mais lidas