Como lidar financeira e emocionalmente quando o parceiro é demitido

A perda do emprego pode causar um forte impacto em qualquer família. Quando o homem fica desempregado, é o momento da esposa e dos filhos serem pacientes e compreensivos, reestruturando as finanças e dando o máximo de apoio psicológico para o pai de família. Veja dicas da mediadora de conflitos Suely Buriasco e saiba como lidar com esse problema:

Ajuda emocional

De acordo com a especialista, quando o marido fica desempregado, é o momento de ser compreensiva e tentar contornar a situação: “Esse é o momento de conversar muito, estabelecer planos e estratégias para driblar as dificuldades da melhor maneira possível. É importante que o marido se sinta apoiado por sua esposa e que ambos encarem a situação como uma fase que deve ser vivenciada junto”.

 

Casal abraçado e triste

Foto: Thinkstock/Getty Images

Sentimento de derrota

Muitos homens, quando perdem o emprego, ficam depressivos ou desmotivados. “O homem ainda carrega a ideia cultural de ser o provedor da família e uma situação de instabilidade econômica pode ser muito danosa emocionalmente. É difícil para o homem aceitar a possibilidade de a esposa arcar com as despesas ou ganhar mais do que ele, mesmo momentaneamente. O machismo ainda é forte em nossa cultura”, explica Suely.

É importante também que a família compreenda os motivos da tristeza do homem nessa fase. “Também é preciso considerar a frustração e toda uma gama de emoções relacionadas à ideia de fracasso que causam grande abatimento”, diz a mediadora de conflitos.

Ajuda financeira

Nesse momento, o primeiro passo que a família deve tomar é cortar os gastos e saber controlar o dinheiro. “A esposa precisa manter a calma e procurar saídas de emergência. Nessa fase é primordial também que refaça o orçamento da família, cortando despesas e encontrando alguma atividade que venha a agregar recursos extras”, revela Suely.

Ela também ressalta a importância da participação dos filhos nesse processo: “É muito importante que os filhos sejam colocados a par de todas as dificuldades e convidados a colaborar também. Isso além de representar economia, já que a família toda estará empenhada, é uma forma de ensiná-los a importância de vencer obstáculos, mantendo a união familiar”.

Atitudes que devem ser evitadas

A mediadora de conflitos conta que o principal erro cometido pela esposa ou pelos filhos nesse caso é criticá-lo ou humilhá-lo. “O casal deve evitar ao máximo os conflitos nessa fase crítica, quando os ânimos não estão em seu equilíbrio perfeito. Relevar palavras e comportamentos é recomendável e, desde que não passe do limite, usar da compreensão para com o cônjuge pode ajudar muito”, aponta.

O que a mulher deve ter em mente é que as fases ruins são temporárias, mas que representam um diferencial importante no relacionamento. “Em tempos difíceis é que seu amor será testado”, pontua Suely.

Se a mulher não for compreensiva, o clima em casa pode tornar-se muito desagradável e até mesmo insustentável. “Em momentos críticos como esse, a compreensão da esposa é fundamental para criar uma situação pela qual os cônjuges se ajudem mutuamente, mantendo o clima de respeito e não se deixando intimidar pela falta de dinheiro”, completa a especialista.

Autoajuda

E não é somente a família que deve ajudar o homem, ele também deve tomar atitudes para reverter o problema. “O homem deve se esforçar para não se entregar às emoções destruidoras que o façam sentir fracassado. É bom lembrar que ninguém está livre de viver uma situação dessas”, diz Suely.

Ela ainda aponta soluções para se livrar do sentimento ruim de fracasso: “É recomendável procurar algum trabalho temporário, enquanto não arruma emprego definitivo. Também pode aproveitar o tempo livre para ajudar nas tarefas domésticas, como buscar os filhos na escola, arrumar a casa ou qualquer outra atividade que o faça sentir-se útil”.

 

Consultoria: Suely Buriasco é escritora e mediadora de conflitos. Autora dos livros Uma Fênix em Praga e Mediando Conflitos no Relacionamento a Dois. www.suelyburiasco.com.br

Mais lidas