Como cuidar de peixes no aquário

Como cuidar de peixes no aquário

Foto: PureStockX/DIOMEDIA

Ter um aquário em casa é algo muito especial. Raramente alguém não perde alguns instantes observando a beleza dos peixes. Apesar de passar a sensação de exigir poucos cuidados, o local requer sim atenção, porém, nada que seja difícil. De acordo com Marne Campos, fundador do site Aquarismo Online, os lugares ideais para se ter um aquário são ambientes tranquilos. “Varia bastante com o tipo de peixe. Os mais agitados podem até ser mais tolerantes, porém peixes mais calmos ficam sob alto nível de estresse em ambientes movimentados”, explica. Cômodos muito iluminados ou com luz solar direta também não são recomendados. Se for o caso, é importante impedir que o sol bata direto no aquário, usando uma cortina, por exemplo. Caso contrário a água pode ficar com aspecto esverdeado

Tipo de peixe, tipo de aquário

Os cuidados começam com a escolha dos peixes que você quer ter e o aquário no qual eles irão viver. “No aquarismo atual, cria-se peixes de diversas regiões do mundo que possuem características bem diferentes, e isso precisa ser observado na hora de planejar o aquário”, destaca o estudioso. Os hábitos de cada espécie também são diferentes e devem ser levados em conta na hora de juntá-las. Pelo tamanho do peixe é possível ter uma ideia do volume que o aquário deve ter.

Campos explica que existe um costume de calcular cada um centímetro do peixe para cada litro de água, descontando o espaço ocupado por equipamentos, decoração, etc. Assim, um peixe de cinco centímetros requer cinco litros de água. Porém, ele frisa que essa conta não é uma regra.

Espécies predadoras não podem conviver com peixes que caibam em sua boca. E atenção também com aqueles que marcam território. O peixe Betta, por exemplo, tem fama de ser um indivíduo solitário. Campos afirma que isso é um mito: “Na natureza, esse peixe vive em meio a plantações de arroz e não em poças de água. O macho realmente é territorial com outros machos, mas, em um aquário grande, é possível até manter mais de um, contanto que haja espaço suficiente. Já a convivência com outros peixes é perfeitamente possível também em aquários menores”, expõe.

Dá para procriar?

Sim. Quando um peixe se sente confortável em um aquário, é natural que a reprodução ocorra. Algumas espécies chegam até a cuidar dos filhotes por um longo tempo, assim como fariam na natureza, e o aquarista praticamente não precisa se preocupar com os pequeninos.

Manutenção constante

Água brilhante, peixes saudáveis e um ambiente de deixar todo mundo de queixo caído. Chegar a esses resultados requer cuidados, especialmente com temperatura, filtragem e alimentação.

“A maioria dos peixes que vive nos aquários é tropical, assim, é importante manter uma temperatura constante em torno de 26ºC. A variação da temperatura é muito prejudicial, o que torna indispensável um aquecedor com termostato, o qual fará esse controle automaticamente”, lembra o especialista.

Campos ensina que um bom aquário começa por uma boa filtragem, e não se trata de superequipamentos, mas os que tenham dimensões devidamente calculadas para o aquário. A dica é ter um aparelho com vazão de filtro por hora em torno de cinco vezes o volume do aquário e que realize as filtragens biológicas e mecânicas. “Aquelas bombinhas que ficam soltando bolhinhas de ar não realizam a filtragem, somente a oxigenação da água. Prefira filtros, pois esses realizam tanto a filtragem quanto a oxigenação apesar de não soltarem as famosas bolhinhas”, auxilia o aquarista.

Os filtros externos também são uma boa alternativa, pois facilitam a manutenção. O segredo da boa alimentação é não realizá-la em excesso. O aconselhável é de duas a três vezes ao dia, em quantidades que os peixes levem, no máximo, 10 segundos para consumir. O processo de cuidados se completa com a troca semanal de 20% do volume da água. Essa quantidade tende a ser suficiente e apresenta uma enorme diferença.

A iluminação também precisa ser bem planejada, mas depende muito de cada tipo de aquário. Procure a orientação de um especialista. Com esses cuidados básicos fica fácil manter o aquário saudável e seus peixinhos agradecem.

Dicas para não errar na compra do primeiro aquário:

–  Atenção quando for comprar os peixes. Não pegue os que apresentarem cores alteradas dos demais ou comportamento diferente, como movimentar-se lentamente.

– Evite colocar peixes que nadam rápido em aquários pequenos.

– O aquário deve ter uma placa de isopor embaixo dele, para nivelar a água.

– Não bata nos vidros, pois os peixes costumam se assustar e acabam se machucando.

– Muita movimentação na água devido ao sistema de filtragem pode estressar os peixes.

– Alguns temas são básicos e fundamentais, e você deve saber como funcionam. São eles: filtragem, substrato, parâmetros da água e compatibilidade dos peixes. Pergunte ao vendedor de lojas especializadas ou veterinários. Também há livros especializados que podem ser adquiridos em lojas de aquarismo.

 

Consultoria: Marne Campos, fundador do site Aquarismo Online e do Concurso Brasileiro de Aqua-Paisagismo (CBAP)

 

 

Sua saúde

 

Para conferir mais dicas,  adquira a revista Sua Saúde – já nas bancas!

 

 

 

 

 

 

 

Tags: ,

Mais lidas