Como aquecer o animal de estimação

Como aquecer o animal de estimação

Foto: Thinkstock/Getty Images

O inverno está cada vez mais próximo e o clima frio pode trazer problemas para o animal de estimação. Assim como nós, os pets também sofrem com a friagem e precisam ser agasalhados corretamente. A Dra. Isabella Vincolletto, veterinária do laboratório Vetnil, explica o que deve ser feito para que seu bichinho fique confortável e aquecido:

Cuidados básicos

Segundo a veterinária, é importante que os donos evitem colocar o animal exposto ao frio e à umidade: “Deve-se evitar o excesso de banhos durante o inverno. Quando o banho acontecer, o ideal é usar sempre água morna e procurar os horários mais quentes”. Confira outras dicas da Dra. Isabella:

– Os passeios devem acontecer durante os horários mais quentes;

– Evitar tosas muito baixas;

– Proporcionar um abrigo adequado ao pet, para que possa haver proteção contra a chuva e os ventos;

– Para quem tem gatos, os proprietários devem bater no capô do carro sempre ao sair de casa, pois os gatos procuram abrigo nestes locais durante o frio;

– Para as aves, o importante é cobrir a gaiola com um pano durante a noite, nunca deixando-as fora de um abrigo que as proteja de correntes de vento e chuva.

Roupas caninas

Muitos donos gostam de colocar roupas nos cães para protegê-los do frio. Porém, se a roupa ficar muito apertada ou muito larga, pode prejudicar o movimento do bichinho. “Nesta época de inverno, é interessante os animais de pelo curto ou de raças pequenas, que realmente ‘tremem de frio’, utilizar algum tipo de roupinha, mas nada exagerado. O adorno pode ser utilizado, desde que não prejudique o movimento ou incomode o animal. Caso ele não se adapte à roupinha, uma alternativa é tentar mantê-lo em sua casinha ou própria caminha, que pode ser forrada com alguma proteção ou paninho que o animal goste”, explica a veterinária.

Local adequado

Muitos donos são acostumados a dormir com seus pets, mas isso pode se tornar um incômodo durante o inverno. “Em algumas situações os donos podem passar alguma noites maldormidas, pois o pet pode querer ‘roubar’ a cama toda. O ideal, caso o proprietário queira que o animal esteja próximo dele durante a noite, é reservar um local no quarto, com uma caminha ou um cobertor. Com isso, o pet entende que a sua presença é bem-vinda, porém o líder é o dono”, explica a especialista.

Os animais são acostumados com rotina e o dever do dono é reservar um local na casa em que ele possa se acomodar todos os dias. “Deve-se reservar um local na casa para a hora do sono, deixando sempre no mesmo local os pertences do pet. Isso ajuda a educar o animal. Para os bichinhos que ficam fora de casa, o importante é que o dono verifique as condições do abrigo oferecido, se existem furos ou buracos que proporcionam a entrada de água ou corrente de vento”, complementa. O ideal é que estas providências sejam tomadas desde filhote, pois o pet se acostuma com mais facilidade e cria hábitos rotineiros.

Os pelos influenciam?

É comum achar que os cães sentem menos frio por serem muito peludos. No entanto, algumas raças podem chegar a sofrer com as baixas temperaturas. “Os cães de raça pequena, como maltês, poodle e Yorkshire e os de pelo curto, como os Pinchers, podem sim tremer de frio. Já as raças adaptadas ao frio como o São Bernardo e o Husky siberiano são menos propensas a esta intempérie, principalmente aqui no Brasil”, revela a médica. O mesmo vale para os gatinhos: quanto menor o pelo, mais frio eles sentem.

Consultoria: Dra. Isabella Vincoletto, veterinária do laboratório Vetnil.

Mais lidas