Cirurgias minimamente invasivas para coluna

Cirurgias minimamente invasivas para coluna

Técnicas menos dolorosas prometem solução à dor nas costas

As dores nas costas afetam diretamente a qualidade de vida das pessoas e seus tratamentos sempre foram considerados os mais desagradáveis. Para o médico Pedro Augusto Deja Teixeira, neurocirurgião do Instituto Paulistano de Neurocirurgia e Cirurgia da Coluna Vertebral, diversas pessoas preferem viver com os incômodos e até mesmo incapacitadas fisicamente, temendo as possíveis soluções, que são sempre associadas à cirurgia tradicional.

Para tratar as dores

Segundo a Organização Mundial da Saúde, 12% dos pacientes não procuram orientação médica quando surgem essas dores. Para o neurocirurgião, isso se deve ao receio de complicações ao tratamento indicado. “No passado, as soluções para este problema, em muitos casos, eram piores do que os sintomas,” garante.

O médico aponta que, na maioria dos afetados, a mudança do estilo de vida pode melhorar os sintomas, sem a necessidade de intervenção cirúrgica. Caso contrário, já existem procedimentos menos invasivos, isto é, cirurgias que causam menores impactos ao paciente.

Cirurgias minimamente invasivas

É feita uma pequena incisão lateral no tórax ou no abdômen, através da região anterior da coluna. “As técnicas minimamente invasivas permitem aos cirurgiões tratar as doenças da coluna diminuindo o trauma cirúrgico, e, consequentemente, a dor no período pós-operatório”, garante Teixeira. Esses procedimentos requerem menor tempo cirúrgico e também reduz o tempo de internação do paciente.

Cirurgias tradicionais

Nos procedimentos tradicionais, a cirurgia é feita pela região posterior da coluna, sendo necessário realizar um corte bem maior. Além disso, requer retração de órgãos internos e grandes vasos sanguíneos. Também é necessário deslocar os músculos da região, manipular estruturas nervosas e remover ossos, que acarretam maiores efeitos debilitantes.

Veja mais: Ortopedista indica causas e tratamentos para dor nas costas

Texto: Larissa Faria
Consultoria: Doutor Pedro Augusto Deja Teixeira, médico neurocirurgião especialista em cirurgia da coluna vertebral e diretor clínico do Instituto Paulistano de Neurocirurgia e Cirurgia da Coluna Vertebral –
www.institutopaulistano.com

Mais lidas