Cafeína pode contribuir para crises em casos de transtornos psiquiátricos, diz estudo

Pacientes que têm distúrbios psiquiátricos como síndrome do pânico, ansiedade e depressão ficam mais suscetíveis a crises quando consomem altas doses de cafeína. É o que demonstrou uma pesquisa da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

“Para os portadores de pânico que apresentam maior sensibilidade à cafeína, recomenda-se evitar essa substância nas suas mais diversas apresentações“, explica o psiquiatra Antonio Egídio Nardi, que coordenou o estudo.

De acordo com ele, a importância dessa informação está no fato de que, mesmo em pequenas quantidades, a cafeína pode interferir nos sintomas de alguns pacientes ao longo do dia. 

Vale lembrar que a cafeína está presente não apenas no café, mas também em alguns tipos de chá, em refrigerantes e bebidas energéticas, no chocolate e até em determinados medicamentos.

Saiba mais:
A síndrome ou transtorno do pânico tem sintomas psicológicos e físicos variados, o que pode dificultar o diagnóstico. Entre os sinais mais comuns da doença estão dor no peito, palpitação, dificuldade de respirar, impressão de que vai desmaiar, tremores, sudorese excessiva, tontura e sensação de morte. Quando o quadro se agrava, surgem outros fatores como fobia e depressão.

Texto: Aline Mendes
Consultoria: Antonio Egídio Nardi, psiquiatra e professor da Faculdade de Medicina da UFRJ.

Mais lidas