Antidepressivo contra a TPM

Antidepressivo contra a TPM

Foto: Shutterstock Images

“Todos os meses, tenho os piores dias da minha vida. Minhas pernas incham e minhas costas doem, mas o pior é a sensação de tristeza extrema como se nada fizesse sentido. Ninguém entende minha irritação nem tem a obrigação de entender. Porém, isso está além das minhas forças e só passa depois da menstruação”. Esse é o desabafo da leitora Ana Cristina, 35 anos, profissional liberal. Se você se reconhece nessa declaração e está na TPM, antes de comer o último bombom da caixa, saiba que existe tratamento para esse mal, que atinge 80% das mulheres do planeta.

Principais sintomas

Tristeza, choro fácil (até assistindo comercial de margarina), irritabilidade, compulsão por doces, diminuição do desejo sexual, distúrbios do sono, dor nas mamas e retenção de líquidos. Esses sintomas começam na segunda fase do ciclo menstrual, de 15 a 10 dias antes da menstruação, e terminam logo que ela chega.

Carolina Ambrogini, ginecologista, obstetra e sexóloga da Unifesp, ouve frequentemente relatos de mulheres que sofrem com a TPM. “Este desequilíbrio é muito individual, de acordo com a sensibilidade de cada mulher, por isso umas têm TPM e outras nem sabem o que é isso”, avalia. A especialista afirma que os tratamentos também variam. A mulher pode escolher não menstruar usando métodos contínuos, como a pílula, o implante ou DIU hormonal, sem prejuízos à saúde. ”Para quem quer continuar menstruando, é possível adotar medidas simples, como a prática de atividade física e evitar a ingestão de alimentos excitantes”, complementa.

Tratamentos

A ginecologista informa que os casos leves podem ser tratados com fórmulas com cálcio, magnésio e vitamina E, além dos ácidos gamalinoleicos. Os quadros mais graves, que comprometem a qualidade de vida da mulher, podem exigir o uso de antidepressivos no período da tensão, que vão equilibrar os neurotransmissores que estão oscilando.

A médica garante que a visão da medicina em relação à TPM mudou bastante, assim como houve avanços no tratamento. “Hoje, a TPM não é mais encarada como uma ‘frescura’. Há muita pesquisa e produtos desenvolvidos pensando nisso, como certas pílulas anticoncepcionais e antidepressivos de tomada única (sete doses em um único comprimido de liberação lenta)”, destaca.

Afinal, o que é a TPM?

– É um desequilíbrio em alguns neurotransmissores, como a serotonina, que regulam o humor.

– Isso acontece da seguinte forma: quando a mulher ovula, produz um hormônio que se chama progesterona, preparando o corpo para uma possível gravidez.

– Quando isso não ocorre, por volta de uns sete dias antes da menstruação, a progesterona e o estrogênio começam a diminuir, o que gera o desequilíbrio nos neurotransmissores, prejudicando o humor e a sensação de bem-estar.

 

Mais lidas