Saiba como fazer um bom churrasco

Avalie

Quando pensamos em churrasco, logo vem à mente a festa, a reunião da família e dos amigos. E para fazer um bom churrasco é preciso, em primeiro lugar, fazer um planejamento. Afinal, ninguém quer comprar excesso de comida que vai sobrar por semanas ou comprar pouca quantidade e deixar os convidados querendo mais, não é mesmo? Portanto, para te ajudar a resolver esse problema e, claro, a preparar um delicioso churrasco, preparamos algumas dicas infalíveis. Veja:

Dicas para um bom churrasco

– Os cálculos mais comuns indicam cerca de 400g de carne para cada homem e 300g para cada mulher. Crianças consomem cerca de 150g.
– Compre carnes somente em estabelecimentos confiáveis e atente-se à aparência: a cor deve ser vermelho-brilhante e a textura marmorizada.
– A carne de frango leva mais tempo para chegar ao ponto. Por isso, coloque logo no início do churrasco e deixe assar bem. Não consuma carne de frango malpassada.
– Evite carne congelada, pois elas perdem no sabor. Mas se não tiver jeito, descongele na geladeira, na véspera.

Thinkstock/Getty Images

Thinkstock/Getty Images

Escolher e preparar os principais cortes

Uma dúvida muito comum na hora de preparar um churrasco é a escolha da carne. As mais consumidas são a picanha, a costela, a maminha, a alcatra e a fraldinha. Conheça as principais diferenças e o melhor preparo de cada tipo!

Picanha: é fácil reconhecer por causa da camada de gordura que envolve a peça e também por seu formato triangular. É a capa de gordura que garante maciez e sabor à carne, por isso, não a retire. Ideal para ser assada no espeto, em postas grossas. Deve pesar no máximo 1,5kg. Peças mais pesadas trazem junto um pedaço de coxão duro. O ponto certo é o malpassado ou ao ponto.

Alcatra: vai muito bem assada em cubos (espetinhos) ou em bifes, mas também pode ir inteira ao espeto. Retire o excesso de gordura para dar um melhor formato à peça.

Maminha: pode ser confundida com a picanha, já que também possui formato triangular. No entanto, não apresenta a capa de gordura em nenhum dos lados. Pode ser assada inteira no espeto ou na grelha.

Fraldinha: limpe bem a peça antes de assar porque é uma carne com muitas gorduras e nervos. Asse no espeto ou corte em tiras grossas e asse na grelha.

Costela: leve a costela à churrasqueira com o lado do osso para baixo. Quando esta parte estiver bem assada, vire para o outro lado. O tempo de cozimento é mais longo, cerca de 6 ou 7 horas. A dica é embrulhar em papel-alumínio ou celofane para que fique mais macia e molhadinha. Retire o papel para dar uma douradinha e sirva!

Temperar e amaciar

– Para cortes de segunda ou com nervuras, você pode usar o amaciante em pó, encontrado facilmente nos supermercados. Outra dica é temperar a carne com suco de abacaxi.
– O tempero básico é o sal grosso. E ele deve ser colocado cerca de 30 minutos antes de levar a carne ao fogo. Polvilhe a carne (peça ou bifes) com o sal e leve ao fogo, seja na grelha, no espeto ou no bafo. Não salgue a carne de churrasco com sal fino, pois ela poderá ficar muito salgada.
– Ao assar frango com pele, pincele de vez em quando com uma mistura de mostarda com azeite. O sabor fica ótimo!
– O peixe pode ser temperado com limão e tempero tipo Fondor®. Depois de assado, coloque sobre ele um vinagrete bem temperadinho.

Acendendo a churrasqueira

Para lidar com o fogo é preciso uma dose extra de atenção. Muitas vezes os acidentes ocorrem com os churrasqueiros mais experientes, já que uma simples fagulha pode ser responsável por uma explosão. Por isso, na hora de acender o fogo, nunca utilize produtos tóxicos como a gasolina ou o querosene. Esses produtos contém toxinas que serão transmitidas às carnes no momento em que estiverem sendo assadas.

Uma técnica comum e muito fácil de fazer é umedecer um pão duro com álcool e colocá-lo no centro da churrasqueira, rodeado pelo carvão. Depois é só arremessar um palito de fósforo aceso e a chama será acesa com segurança. Depois, coloque alguns pedaços de carvão sobre o pão, deixando espaços para que o ar possa chegar até a chama, já que o fogo precisa do oxigênio para se manter aceso. Se não tiver pão duro em casa, a mesma técnica pode ser usada com a ajuda de uma latinha cortada ao meio com álcool dentro. Outra opção é o acendedor elétrico disponível no mercado.

Vale lembrar que, antes de colocar a carne para assar, é preciso esperar a brasa se firmar com uma temperatura elevada, sem chamas ou fumaça. Assim, é possível ter mais controle sobre a carne que está sendo assada. Esse processo pode demorar de 30 a 40 minutos.
Texto: Patrícia Ariosi e Patrícia Cestari

Mais lidas