Decoração de quarto jovem e masculino

Avalie

Na hora de decorar o quarto do seu filho, muitas vezes surgem complicações. Como reformar o quarto do adolescente sem que o ambiente perca a identidade do jovem? Para te ajudar nessa tarefa, conversamos com o arquiteto Allan Feio. Confira!

Sem deixar a personalidade de lado

Antes de começar qualquer decoração, é preciso ouvir a pessoa que vai ocupar este ambiente. “É fundamental conhecer seus gostos, hábitos e o que ele pretende para o espaço. No caso do quarto de um adolescente, esta recomendação é mais do que necessária, pois, em função da sua fase de vida, a decoração pode ser gerar conflitos familiares”, afirma o arquiteto.

Ele ainda argumenta que a escolha de uma decoração temática pode ser um risco, afinal o jovem está crescendo rápido e o quarto pode ficar desatualizado e datado. “A possibilidade dele enjoar do quarto é grande. Mas se esta for a escolha, sugiro utilizar o tema em detalhes”, diz.

quarto jovem adolescente

Allan Feio

Cores do quarto masculino

Segundo o arquiteto, a escolha das cores que vão compor a decoração de um quarto jovem deve ser definida a partir dos gostos pessoais do ocupante do ambiente. “Não existem regras rígidas, nem padrões pré-definidos. Se o jovem gosta de vermelho, por que não usá-lo? O segredo é ter bom senso e utilizar cores mais fortes com moderação”, afirma.

Porém, se você não sabe nem por onde começar, como sugestão, o especialista aponta tons de cinza, que continuam em alta e sempre trazem um ar mais masculino. “Azul sempre é uma boa escolha, mas é bom evitar tons mais claros desta cor, pois podem remeter a uma decoração mais infantil”, afirma.

Já nos móveis, as cores neutras são mais recomendadas, pois fica bem mais fácil de compor a decoração. “É interessante também que os móveis sejam práticos e com linhas mais retas. Dessa forma, numa eventual mudança na decoração, estes móveis podem ser mantidos”, conta Allan.

Itens que não podem faltar no quarto adolescente

O mais importante em um quarto jovem é o espaço para o estudo. “Se o espaço permitir, invista em uma bancada grande, onde o jovem possa espalhar livros e cadernos, além de abrigar o computador. Se possível, coloque esta bancada próximo a uma janela, para aproveitar a luz natural”, pontua o arquiteto.

E se o jovem tiver algum hobby, não pode faltar ainda um espaço para abrigar os objetos relacionados a ele. “Se o adolescente pratica surfe, por exemplo, não podemos esquecer do local para guardar a prancha. Isso vale também para o caso de coleções que devem ser expostas”, indica Allan.

Já se você quiser decorar gastando pouco, pode investir nos pôsteres: além de baratos, dão muita personalidade ao ambiente. Podem ser de filmes, times de futebol, bandas, seriados… tudo depende do gosto do dono do quarto!

Quartos pequenos

Os espaços hoje em dia estão cada vez mais reduzidos. Alguns quartos não chegam a ter nem 9m², o que acaba dificultando na hora de decorar. “Se este for o caso, a dica é aproveitar cada cantinho. Invista em móveis multiuso, que podem servir para mais de uma função. Armários com porta de correr são sempre bem vindos e ajudam a otimizar o espaço. Prateleiras e nichos ocupam o espaço vertical nas paredes”, ensina o arquiteto.

Já se o quarto for ocupado por dois irmãos, “uma bicama é mais recomendável, pois a cama auxiliar só será utilizada na hora de dormir, deixando o espaço mais livre durante o dia”. O especialista ainda aponta que, mesmo que o quarto seja de um jovem apenas, a cama auxiliar servirá no momento de receber um amigo.


Iluminação adequada

Em todo quarto deve haver uma iluminação geral, que servirá para o ambiente inteiro. “Esta luz pode ser mais suave, deixando o quarto mais aconchegante. É sempre recomendável compor esta iluminação geral com pontos luminosos mais direcionados e pontuais. Estes pontos podem servir para destacar algum elemento na decoração, como quadros, um papel de parede ou algum objeto”, ensina Allan.

Essas luzes também servem para auxiliar na área de estudos ou na cabeceira da cama. “Neste caso, é importante uma luz mais eficiente, por ser uma área de trabalho. Na cabeceira, por exemplo, pode ser uma luminária apoiada no criado mudo”, finaliza o arquiteto.

Consultoria
Allan Feio – arquiteto
www.allanfeioarquitetura.blogspot.com

Mais lidas