Como mudar o piso sem removê-lo

Avalie
Thinkstock/Getty Images

Thinkstock/Getty Images

Se você tem vontade de mudar o piso da sua casa, mas não tem condições de trocá-los – seja pelo alto custo ou até mesmo por morar em um imóvel alugado – existe uma solução: a aplicação de pisos vinílicos ou argamassas. A arquiteta Débora Durigon explica como essas aplicações funcionam e quais são os principais cuidados que devem ser tomados. Confira:

Jeitos de trocar o piso

Segundo a arquiteta, atualmente existem argamassas que permitem o assentamento de revestimentos frios sobre cerâmica. “É uma colocação simples, mas que requer alguns cuidados antes da instalação como, por exemplo, verificar se não há infiltração, se não há peças soltas ou quebradas para evitar problemas futuros”, explica.

Outro detalhe importante é verificar o tamanho das portas. “Como o novo piso ficará alguns centímetros mais alto, poderá ser necessário diminuir a altura das portas”, conta Débora.

Para quem prefere uma aplicação mais simples, pode optar pelos pisos vinílicos, que são instalados com adesivos líquidos ou cola de contato. No entanto, Débora afirma que quando inseridos sobre a cerâmica, pode ser necessário aplicar nivelador antes para uniformizar a área.

“Os pisos de madeira também são instalados com um tipo de cola e as peças possuem encaixe macho e fêmea para melhor fixação”, complementa.

Pisos laminados e tecnocimento também podem ser instalados sobre o piso antigo. “Mas tome cuidado: tanto eles quanto o revestimento frio, vínilico e de madeira não deixarão de causar danos ao piso antigo”, alerta Débora.

Cuidados com o piso

Assim como os pisos comuns, esses tipos de pisos podem ser limpos normalmente. “Os revestimentos frios podem ser lavados normalmente e o uso é como se não estivesse sobre outro piso. Para limpeza do piso vínilico e de madeira, deve-se seguir as orientações do fabricante”, explica Débora.

Custos gerais 

Segundo a especialista, o custo do piso depende do material escolhido. “No caso dos revestimentos frios. a argamassa especial para esse tipo de assentamento tem custo um pouco maior do que a tradicional. Para vínilicos e madeira, o custo pode aumentar se for necessário a aplicação do nivelador. Se for possível fazer a remoção completa do revestimento antigo, é melhor para reduzir os riscos de problemas no futuro”, aponta.

Remoção dos pisos

Se você quiser sair do imóvel e levar o piso junto, a arquiteta afirma que reutilizar esse tipo de piso não é uma boa ideia. “No caso de revestimento frio, a retirada dele é com a demolição. Os pisos vínilicos são de fácil remoção. mas as placas ou réguas podem ficar deformadas”, diz.

Portanto, antes de tomar qualquer decisão, é necessário avaliar quanto tempo você permanecerá no imóvel e se trocar o piso é realmente uma opção viável.

Consultoria

Debora Durigon – arquiteta formada pela Universidade Anhembi Morumbi

Mais lidas