Como escolher a melhor cortina para a sua casa

Avalie

Parece um assunto fácil, mas utilizar cortinas na decoração pode ser um pouco complicado. São tantas cores, tecidos e tamanhos diferentes, que pode se tornar uma tarefa difícil escolher a cortina ideal para a sua casa. No entanto, para te ajudar nesse assunto, conversamos com a arquiteta e designer de interiores Tatiana Spencer, que deu várias dicas. Veja!

Primeiros passos para comprar cortinas

De acordo com Tatiana, o primeiro passo é não errar na medida. O ideal é que a cortina passe nas laterais e na parte superior e inferior pelo menos 15cm; então confirme a medida da janela/vão e acrescente. “Se você pode colocar a cortina até o chão, caso não tenha nenhum móvel fixo na frente, eu recomendo pois acaba alongando o pé direito do ambiente; caso contrário, deixe pelo menos 15 a 20cm para baixo”, explica.

Flickr/sbcustomdesigns

Flickr/sbcustomdesigns

Depois, é hora de escolher o tecido e o modelo da cortina. Como a gama de tecidos é imensa, é importante observar o restante do espaço. Verifique se tem muito sol no ambiente, se tem algum prédio ou vista próximos que estão incomodando e tirando a privacidade ou se a claridade é intensa. “Isso ajuda a definir o tipo de tecido que será usado. Claro que os móveis e cores do ambiente ajudam nesta escolha; ambientes muito coloridos pedem cortinas mais neutras e o inverso abre um leque para estampas e cores marcantes”, pontua a designer de interiores.

Os melhores tecidos para as cortinas

Existem inúmeros tecidos para cortinas: voil, linho, seda, renda, fibras naturais, bambu, algodão, tergal, shantung, entre outros.

“Quem deseja uma manutenção fácil pode optar pelos sintéticos e voil. Se quiser deixar o ambiente mais imponente, a seda e o veludo (hoje pouco usado). A seda pode estragar com o sol, então é indicado colocar um forro. Para um ambiente mais despojado, o algodão, fibra ou bambu é mais indicado”, pontua.

As cortinas na decoração

Se você ainda tem dúvida se a cortina deve combinar com os móveis, o tapete ou qualquer outro detalhe, Tatiana responde: “As cortinas devem ter uma relação com o restante do ambiente. Elas complementam e dão aconchego ao espaço”. Ela ainda afirma que o combinar é sempre na intenção de complementar. “Você pode ter paredes claras, tapete neutro e ter uma cortina colorida ou estampada; já em paredes coloridas, tapetes e cortinas neutros são mias indicados”, conta.

Flickr/sbcustomdesigns

Flickr/sbcustomdesigns

Tatiana ainda aponta que cortinas estampadas são sim uma boa ideia e combinam com ambientes mais despojados, como um living colorido, retrô, com móveis básicos e quartos de criança. “Dá para ousar muito: cortinas com barrados coloridos, estampado com colorido, mesclar a estampa com um neutro, entre outras opções”, conta.

Porém, lembre-se de que não existe um certo e errado na decoração. “Tudo é possível com harmonia! Ainda acredito que menos é mais e que não é necessário vários elementos marcantes em um único ambiente. Valorize um e deixe os outros como complemento”, aconselha.

Ambientes muito claros ou muito escuros

Quem tem a sala bem escura, por exemplo, pode sim investir em cortinas. “A cortina pode ser de um material claro, mais leve, com mais transparência… ela pode até ajudar a deixar o ambiente mais claro”, conta. Já em ambientes mais claros, a variedade pode ser bem maior. “Um ambiente claro é sempre agradável e qualquer tipo de tecido pode ser usado”, revela Tatiana.

Flickr/sbcustomdesigns

Flickr/sbcustomdesigns

No entanto, em ambientes como dormitórios ou sala com home theater, é bom utilizar o blackout de PVC, pois garante 100% de isolamento quanto à claridade. “Muito usado em hotéis também, hoje já temos alguns misturados PVC com tecido, dando uma aparência mais leve as cortinas. E quando for realmente necessário, uma opção é colocar duas cortinas em trilhos separados – o blackout atrás e na frente um tecido mais leve”, indica a arquiteta.

Limpeza das cortinas

A frequência de limpeza deve ser de pelo menos uma vez por ano. Quando o ambiente for úmido, a limpeza deve ser maior, devido a proliferação de ácaros. “Alguns tecidos podem ser lavados na máquina, como voil, tergal, algodão pré encolhido e poliéster. Deve-se seguir a indicação de cada tecido – alguns são lavados com sabão em pó, outros com sabão de coco; o ideal é nunca centrifugar. Porém, tecidos mais nobres como seda, linho e algodão puro devem ser lavados por empresas especializadas, lavanderias”, aconselha a especialista.

Cortinas x persianas

Além das cortinas tradicionais, você também pode escolher as persianas. No entanto, essa escolha depende do seu ambiente e a harmonia com os outros móveis. “Você pode mesclar na sua casa, usar cortina na sala e persianas nos dormitórios. Os modelos rolo são superindicados. Persianas verticais só ficam legais em escritórios. Se você tiver uma porta balcão, coloque cortina ou persianas que possam ser enroladas para cima”, afirma a designer de interiores.

A persiana acaba sendo uma ótima opção para  pequenos ambientes, pois não tomam muito espaço. “Procure bem, pois existem várias lojas que vendem persianas prontas e lindas, com ótimo custo benefício. Só não se esqueça da regrinha das medidas! Elas também valem para as persianas; se você achou a persiana com as medidas que você precisa na largura e a altura é maior, não tem problema. Abaixe ela somente até a altura que você precisa; ninguém vai perceber”, pontua.

Consultoria
Tatiana Spencer – Arquiteta e Designer de Interiores
www.tatianaspencer.com

Tags:

Mais lidas