“Tenho ciúme da profissão do meu par”. Veja o que fazer

Avalie

Quando um famoso assume que está namorando uma anônima, uma das perguntas mais comuns é: “Ela não tem ciúme da sua profissão?”. Mas esse sentimento não é exclusivo apenas com namoradas e esposas de celebridades. Muitas mulheres sentem ciúme da profissão de seus parceiros e não sabem lidar com isso, afinal, é complicado sentir-se incomodada com a atividade com a qual seu amor ganha dinheiro.

A psicóloga Camila Aguiar explica que não há nada de errado em sentir ciúme se uma situação estimula o surgimento do sentimento: “É normal sentir ciúme se você vê uma mulher dando em cima do seu marido ou namorado, por exemplo”, diz a psicóloga. Mas se o ciúme não deriva de uma situação específica, pode ser o indício de que a mulher está insegura e com baixo autoestima: “muitas mulheres simplesmente têm pavor de imaginar que seu marido trabalha ao lado de outra mulher. Essa insegurança pode ser o reflexo de um grande problema de autoestima, que merece atenção”, explica Camila. Ela ainda detalha que quando o ciúme é extremo, pode causar grandes problemas: “A pessoa se torna possessiva, agressiva e sente-se incapaz de ser amada”, conclui.

casal ciúme

Foto: Thinkstock/ Getty Images

Mas será que algumas profissões não ajudam a despertar ciúme? Renata Cunha é gerente de uma loja de moda feminina e há seis anos namora o personal trainner Cristiano Nunes. Os dois se conheceram na academia, ela como aluna e ele como professor, e, hoje, mesmo com casamento marcado, Renata não deixa de sentir ciúme da profissão do noivo: “Sempre imagino se não há uma aluna bonita malhando por lá e que vá chamar a atenção dele”, confessa Renata. A psicóloga garante que esse pensamento não deve ser alimentado: “Haverá mulheres bonitas e interessantes em todos os lugares. Se você tiver medo de quem pode aparecer no ambiente de trabalho dele, vai acabar tendo medo de deixá-lo até mesmo sair na rua”.

A situação com a estudante Eva Morandi é diferente. Ela namora há sete meses o barman Gustavo Dias Ribeiro. Apesar de o namorado ter uma vida noturna agitada, Eva diz que não se importa e que não sente ciúme: “Acho que não adianta ficar em cima do cara. Se ele quiser trair, vai trair independente do trabalho dele. O Gustavo fica tão cansado de trabalhar a noite toda que nem acredito que ele percebe se tem muitas mulheres no pé dele ou não”. A postura de Eva é aprovada pela psicóloga: “Relacionamentos saudáveis são aqueles em que há confiança no parceiro e em si mesmo”, diz.

Então, o que fazer?
Camila Aguiar diz que não há motivos para temer a profissão do parceiro, ou qualquer outra atividade que ele faça. A mulher precisa confiar em si mesma e na história que tem construído ao lado do outro. A psicóloga destaca a importância do diálogo no relacionamento: “Não há como isolar o parceiro do contato com outras mulheres, assim como ela não vai deixar de viver ao lado de outros homens. O importante é sempre manter o diálogo do casal em dia, sem esconder o que se passa no dia a dia de cada um”, afirma a especialista. Mas e se a mulher sentir-se ameaçada pelo ambiente de trabalho do amado? “Converse com ele e diga o que a incomoda. Se for uma colega de trabalho que tem causado problemas, ele deve compreender a situação e usar o bom senso para resolvê-la. Com certeza ela vai preferir ter ao lado dele uma mulher que mostra que está insatisfeita quando não se sente confortável com alguma situação, do que alguém que simplesmente tem uma crise ciúme”.

Anote a dica!

Tags: ,

Mais lidas