Reynaldo Gianecchini volta aos palcos

Avalie
reynaldo-gianecchini

Foto: Amauri Nenh/AgNews

Na noite de ontem, dia 13, Reynaldo Gianecchini voltou aos palcos depois de um longo tratamento contra um câncer linfático. E a sua reestreia não poderia ter sido mais emocionante.

Já no começo da apresentação de “Cruel”, quando Gianecchini falou sua primeira frase, a plateia começou a aplaudi-lo de pé. O ator sorriu, mas não se manifestou para não perder a concentração. Ao final do espetáculo, Giane não segurou as lágrimas. Ele conversou com o público e declarou sua alegria por retornar aos palcos: “Este foi um trabalho feito por nós, nossas produtoras Selma e Célia, do diretor Elais Andreato, nossa equipe pequena, porém, feliz. Não tenho como mensurar a felicidade de estarmos aqui hoje. Eu não quero perder a oportunidade de agradecer: a gente quis tanto voltar com a peça, muitos torceram pela minha recuperação… Meu coração não cabe de tanta gratidão!”

Cercado pelo público e pela imprensa, Gianecchini fez um agradecimento especial a sua mãe, Heloísa, que assistiu ao espetáculo sem tirar o sorriso do rosto: “Quero agradecer a uma pessoa que agradeço todos os dias da minha vida: esse ser iluminado, que eu tive a sorte de ter como mãe. Pessoa mais feliz, mais parceira e com o coração mais lindo que eu já vi na vida: te amo loucamente!”, disse o ator em meio ao choro.

Muitos famosos foram prestigiar a volta de Giane aos palcos. Entre eles estavam Rafael Almeida e Marcos Mion, além das atrizes Maria Fernanda Cândido e Gabriela Duarte, que, inclusive, chegaram a visitar o ator no camarim. Além dos famosos, estavam na plateia amigos, familiares e uma parte da equipe médica que cuidou do ator no Hospital Sírio Libanês e que também mereceu um agradecimento especial: “Quero prestar uma homenagem: nesses meses todos fiquei muito emocionado, como é bonito as pessoas terem uma vocação e exercem lindamente uma profissão. Eu me deparei com uma turma que boa parte dela está aqui e me mostrou, além da competência, um amor e respeito ao ser humano. Estou falando dos meus médicos: Dra. Iana, Dr. Vanderson, Dr. Malavolta, Dra. Eunara e toda equipe também de enfermeiros do Sírio Libanês. Fiquei muito impressionado como é bonito esse amor! Vocês fazem parte desse processo por eu estar aqui e farão parte muito importante da história da minha vida.”

Entrevista: Michele Marreira/Colaboradora

Mais lidas