Está sozinha? Veja os tipos de solteiras e descubra o seu

Avalie
mulher-musica

Foto: Shutterstock Images

 

O dia dos namorados se aproxima e, enquanto algumas pessoas suspiram quase que aliviadas por não terem o compromisso de presentear alguém nessa data, outras lamentam a falta de uma companhia para passar o dia 12.

Nem todos os solteiros são iguais e, claro, nem todos lidam com a solteirice da mesma forma. Há quem encare o período sem um romance como uma forma de colocar em ordem aspectos como a vida profissional ou social. Outros, porém, veem a solteirice como um período de tristeza e solidão.

Para o psicólogo Alexandre Bez, especializado em relacionamentos pela Universidade de Miami, o sentimento de solidão provoca grande tristeza emocional, podendo levar até a uma depressão. Baseado nos tipos de “solitários” listados por Alexandre, mostramos três tipos de solteiros e como cada um deles lida com o “estar sozinho”.

Veja se você é uma solteira bem-resolvida ou está eternamente em busca de um grande amor:

Solteira assumida: bem-resolvidas, as solteiras assumidas adotaram esse estilo de vida por opção própria. Têm até alguns casos amorosos por aí, quando acham o cara interessante e o relacionamento é oportuno para o seu estado emocional. Não sentem solidão nem são carentes de afeto. Mantêm uma vida social ativa atendendo às suas necessidades psicoafetivas.

 Solteira reflexiva: essa mulher sabe que está num momento no qual precisa se dedicar a si mesma, seja para realizar afazeres pendentes, esquecer antigos relacionamentos ou simplesmente colocar os pensamentos em dia. Também não é solitária, não apresenta carência sentimental e encara a solteirice como um momento transitório e necessário para o seu crescimento.

Solteira solitária: as solteiras solitárias encaram o “estar sozinha” como um problema. Geralmente se questionam ou se culpam por não ter um relacionamento sério. A sensação de solidão nessas mulheres é grande, e algumas podem chegar ao radicalismo de uma autoprivação de sentimentos e contatos na vida social. O grande problema é o sentimento de vazio que entristece essa solteira.

Para os casos em que a pessoa não se vê solteira e sim solitária, a psicoterapia pode ajudar a encontrar os motivos para essa solidão e, segundo o Dr. Alexandre Bez, oferecer aos pacientes a oportunidade de mudar e interromper esse desconforto e inquietação que o sentimento traz. Curta a solteirice!

 

Mais lidas